Arquivo de etiquetas: Saúde social

Prosperidade. 10 Passos para um 2017 poderoso!

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros!

Começamos 2016 falando sobre as 4 Leis Indianas e os benefícios de sua prática, quem leu leu, quem não leu pode clicar aqui.

Esse ano vamos falar novamente sobre PROSPERIDADE. Dessa vez com uma abordagem diferente. Então já sabe, papel e caneta na mão, anote tudo que fizer sentido pra você e crie oportunidade para praticar o quanto antes.

Prosperidade é um estado de progresso, que promove sensação de contentamento e ao contrário do que geralmente pensamos, não está ligada somente ao dinheiro, este estado de contentamento e satisfação pode ser físico, financeiro, emocional ou ambos.

Prosperidade está intimamente ligada ao otimismo e eu não vejo maneira mais prática de se tornar uma pessoa positiva do que tendo experiências maravilhosas na vida.

Como podemos nos proporcionar isso? É simples, experimentando coisas novas. Quando você ousa fazer diferente o resultado muda e a mudança em si, pra quem está estagnado, já tem sabor de prosperidade. Pense nisso.

Alguns passos práticos para se tornar uma pessoa próspera:

1. Experimentar novas escolhas. Comece com novas combinações de roupas, novos lugares, novos hábitos de consumo.

2. Seja menos resistente ao otimismo. Se tiver dificuldades com isso leia esse artigo aqui.

3. Abandone o que é velho, velhos objetos, velhos hábitos, velhos padrões de pensamento, velhas companhias, velhas zonas de conforto desconfortáveis. Isso vai ajudar com os dois passos anteriores.

4. Olho do dono engorda o gado, onde você colocar seu foco, você vai prosperar, então se quer muito uma coisa pense naquilo, leia sobre aquilo, imagine aquilo acontecendo o tempo todo (tela mental positiva), faça esforços e sacrifícios.

5. Você não precisa esperar até que vença os medos, você pode começar  enfrentando-os, ser positivo ou agir como se fosse durante um tempo vai te ajudar com isso.

6. Ter prioridades. O que é mais importante para você nesse momento? Quanto tempo ou energia você tem dispensado nisso?

7. Aceite que não há nada de egoísmo em protagonizar, talvez para isso você precise deixar coisas e pessoas pelo caminho, mas como recompensa alcançará muito mais do que o esperado.

8. Diga não aos seus controles rígidos. Muitas vezes a melhor solução ou o caminho certo está em algo que jamais imaginamos. Já pensou que você pode estar impedindo o seu próprio progresso?

9. Escolha palavras para seu novo ano, por exemplo: CONQUISTA. Agora crie uma crença positiva para ela, por exemplo: EU TENHO UMA CRENÇA, EU NÃO PARO NO CAMINHO! ou ainda FELICIDADE, EU TENHO UMA CRENÇA, 2017 VAI SER MELHOR QUE 2016. Essas crenças funcionarão como um combustível para seguir caminho e como antídoto quando maus pensamentos vierem a tona, além de energeticamente serem decretos de prosperidade.

Lembre- se sempre do poder das palavras, eu crio enquanto falo. Abracadabra!

10. Escreva sobre isso, mantenha um diário de auto monitoramento, escreva as coisas ruins e boas que sente, procure manter o foco no positivo, escreva sobre o que quer e não duvide disso. Tudo que é escrito ganha performance, pensamentos e ideias são etéreos, vai ser bom você trazer as coisas para o plano físico, para aqui e agora.

Faixa bônus: Não superestime as dificuldades. Talvez você já tenha feito isso d+.

Pronto. Você está apto para um 2017 de muita luz!

Um montão de beijos e abraços apertados! Se cuidem e Feliz Ano Novo!

Bel Ramalho – Comunicóloga / Coach Executivo e de Vida

 

Share Button

Como não se tornar influenciável.

Share Button

Olá Bauzete!

Hoje o nosso papo é sobre Influência.

índice

É muito importante termos uma personalidade bem definida e comportamentos pautados em nossos valores.

Acontece que muito frequentemente alguns de nós começam a agir de maneira diferente, influenciados ainda que inconscientemente por outras pessoas ou situações.

5hho7l588tme9bg7jzwvyel07Algumas vezes essa influência é positiva, isso se chama inspiração. Maravilhoso, ok! Mas em grade parte é negativa ou simplesmente des-ne-ces-sá-ria.

demonioPequenas atitudes que geralmente passam despercebidas por nós,  deixam claro para o resto do mundo como somos ou nos tornamos frágeis e manipuláveis e isso não é nada bom, pois nosso comportamento vai determinar a forma como nos projetamos socialmente.

Os famosos “Maria vai com as outras” geralmente são pessoas com baixa autoestima. Tendem a mudar de opinião, gosto ou comportamento frequentemente de acordo com o momento, ambiente ou roda social em que se inserem. É fundamental que saibamos nos adaptar, mas esses fatores não têm poder e não podemos permitir que tenham força suficiente para movimentarem atitudes contrárias à nossa personalidade, quando não agimos de acordo com o nosso verdadeiro eu, ao contrário do esperado, a convivência se torna incomoda, sem graça e artificial…

Em alguns casos o que parece inocente toma proporções muito prejudiciais, alguns indivíduos chegam a fazer escolhas importantes de vida, como por exemplo, escolher uma carreira, pautados na vida profissional de um conhecido ou opiniões de terceiros.

Mudanças são sempre bem vindas, elas são o acelerador e o freio da vida, contudo não se pode trair a própria essência. Quando você se pegar deixando de lado suas opiniões e gostos é hora de pensar:

  • Estou querendo agradar a alguém mais do que a mim mesmo e faço isso modificando meu corpo, ações e opiniões?
  • Frequentemente me comparo com outras pessoas e sinto necessidade de ser como elas ou ter o que elas têm?
  • Minhas opiniões diferentes fazem com que eu me sinta menos parte, ameaçado ou inferior?
  • Minha mudança é verdadeiramente uma escolha somente minha?

Podemos estar sendo influenciáveis em vários aspectos:

Acontece muito nos relacionamentos: Meninas E meninos, por favor, não se preocupem tanto em se apaixonar pelas preferências dos seus parceiros, acreditem, quando verdadeiramente eles se apaixonam, é justamente por aquilo que, diferente deles, encontram em vocês. Sua parte na relação é apenas respeitar e conviver tolerante e pacificamente com os gostos do outro, claro, quando saudáveis.

Não percam tempo tentando fazer o tipo de alguém, seus atributos se autênticos e originais serão o suficiente.

Nas amizades: Vocês não precisam agir de maneira inconsequente e fora dos seus padrões de valores para se sentirem iguais ou melhores que os demais.

No trabalho: Para conquistar a confiança de um chefe você não precisa parecer um gêmeo univitelino dele.

Entre nós e nós mesmos: Policie-se contra sentimentos como a comparação e a inveja.

Não se cobre tanto.

Honre e respeite a sua historia.

Honre e respeite a história do outro.

Reconheça e acredite nas suas virtudes

Reconheça e trabalhe as suas limitações.

Que nós saibamos conservar sempre o dom de honrar a nossa historia. Quando queremos apenas ser quem o outro é, fazer o que o outro faz ou ter o que o outro tem, não estamos respeitando a nossa essência.

Quando somos fiéis a tudo que VERDADEIRAMENTE somos é que obtemos os nossos melhores resultados.

Pense a respeito. Em que aspectos da sua vida você está se permitindo influenciar?

Por hoje é só! Fiquem com Deus e se cuidem.

Bjos! Bel Ramalho – Comunicóloga/ Executive & Life Coach

Share Button

Inteligência Emocional – Como desenvolver essa habilidade.

Share Button

Olá Bauzete! Com certeza você já ouviu falar em Inteligência Emocional.

No âmbito profissional, assim como no pessoal, saber gerir nossas emoções é extremamente necessário para nos mantermos emocionalmente equilibrados e saudáveis.

Pois bem. Inteligência Emocional pode ser definida como a habilidade de entender e se relacionar bem e racionalmente com nossas emoções e suas reações, sem deixar que as mesmas interfiram na qualidade das nossas atitudes e pensamentos.

o-que-e-inteligencia-emocional

Para começar, vamos ressignificar as emoções, considerando que nenhum sentimento é inteiramente mau, por exemplo, o medo e a raiva, que de inicio são considerados sentimentos negativos, podem ser utilizados como ferramentas de superação e motivação, isso é manter o foco no positivo.

Para desenvolver sua Inteligência Emocional:

Saiba gerir seus sentimentos: Primeiramente é preciso saber identificar seus sentimentos positivos ou negativos e a origem de suas emoções . Caso frequentemente você se pegue dizendo ou pensando coisas do tipo: “Não sei de onde está vindo esse sentimento” ou ” Não sei por que estou me sentindo assim” é hora de se dar mais atenção. Sentimentos como ódio e inveja, que movimentam desinteligências e atitudes impensadas, são o carro chefe do descontrole emocional. Quando você é capaz de identificá-los prontamente pode eliminá-los ou usá-los de maneira assertiva.

Suspenda o julgamento. Respeite as emoções dos outros: Inteligência emocional também diz respeito a capacidade de reconhecer e entender as emoções de terceiros, lidando com as suas reações de maneira respeitosa e compreensiva. Quando você honra a individualidade do outro tem mais chances de desenvolver uma comunicação efetiva e cordial, isso é socialmente saudável, torna agradável a convivência, estreita laços e aproxima as pessoas.

Use a pressão ao seu favor: Estamos constantemente expostos a situações que nos desagradam, que geram estresse e pressão, a melhor forma de lidar com elas é ressignificando-as como oportunidades de fortalecimento e ferramentas criadoras de novas soluções antes nunca pensadas. Na crise, crie!

Fale dos seus sentimentos: Não saber ou não conseguir expressar sentimentos também é um forte indício da não inteligência emocional. Quando você não se habilita a definir claramente seus sentimentos e motivações, gera dificuldade de auto conhecimento e também de ser entendido pelas pessoas do seu convívio. Comece hoje aos poucos a falar do que sente, claro seletivamente, saber o que falar e para quem falar é fundamental e um belo exercício da inteligência e intuição.

Pegue seu leme: Na vida pessoal e profissional é preciso estar no controle do seu barco. É importante romper o ciclo de prejuízo movimentado em nós por situações ou pessoas nocivas, todo sentimento negativo e mal definido só nos afeta quando e até que pontos nós mesmos permitimos, ser senhor dos seus domínios é não dar poder ao outro ou às situações para desequilibra-lo. As reações que temos quando estamos fora do nosso próprio controle nos causam muitos transtornos e comprometem nossa imagem projetada.

Permita-se errar: Você perde menos tempo e energia com sentimentos não construtivos como baixa auto estima, medo e comparação, Não ser duro consigo mesmo é um dos hábitos que mais contribuem para o progresso dos seus objetivos.

A Inteligência Emocional é primordial para o alcance do sucesso profissional e pessoal sobretudo nos tempos em que vivemos, onde o estresse, a competitividade, a comparação e a pressão estão cada vez mais presentes na rotina dos indivíduos. Ser emocionalmente inteligente torna-se um diferencial poderoso.

Por hoje é isso. Cuidem-se e fiquem com Deus!

Bel Ramalho – Comunicóloga / Executive & Life Coach.

 

 

 

Share Button