Arquivo de etiquetas: comportamento

Cinco erros comuns em esmalterias

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje vamos falar sobre cuidados com as unhas. Se você tem o hábito de fazê-las em esmalterias, fique de olho nessas dicas.

A fundadora da Beryllos, primeira rede de cuticularia do Brasil, Luzia Costa, lista 5 cuidados para se “inspecionar” na hora de ir ao salão e prevenir qualquer resultado indesejado.

1. Compartilhamento de esmaltes

É comum a precaução com o uso dos alicates e a maioria das pessoas leva o seu próprio material até o salão. Mas o que muitas mulheres não sabem é que compartilhar esmaltes também pode causar doenças. A química do  produto não é capaz de eliminar as bactérias e fungos que possam existir após ter sido utilizado em unhas com algum tipo de doença como, por exemplo, a micose. Se possível, leve seu próprio esmalte.

2. Reutilizar materiais

Para ter total segurança é necessário que materiais como lixas e espátulas de madeira sejam descartados a cada utilização. Muitas profissionais, por questão de economia ou falta de conhecimento, utilizam os mesmos para evitar desperdícios, o que é um erro.

Outros itens como alicates, espátulas de metal, precisam de um cuidado especial na hora da higienização, devem ser lavados com produtos específicos para eliminar bactérias e alguns ainda necessitam passar pela autoclave. Exija materiais que não foram utilizados e que serão descartados na sua frente.

3. Uso de alicate

O maior vilão dos salões de beleza é o alicate! Responsável por transmitir doenças como verrugas e até mesmo a Hepatite C. O ideal é pedir para a profissional usar os materiais que você levar, mesmo correndo o risco de ela não estar acostumada com os utensílios. Ou ainda procurar salões que usem outras práticas para fazer as unhas. Lembre-se também de trocar o seu alicate periodicamente. Mesmo que ele esteja sendo utilizado só por você, pode conter alguma bactéria.

4. Retirar a cutícula

Mesmo que o alicate seja visto como um aliado na hora de deixar as unhas bonitas, ele traz riscos quando combinado com a prática de retirar a cutícula. Esta prática acaba com a proteção natural e aumenta as chances de contrair doenças, com os cortes que o alicate pode fazer. Além disso, é um procedimento que pessoas com algum problema de saúde, diabetes, por exemplo, não podem realizar. Por isso, aconselho a mudar este hábito que pode machucar, deformar as unhas e até mesmo transmitir doenças.

5. Esterilização correta

As profissionais precisam ter como meta principal a higienização dos materiais utilizados. Devem limpar, desinfetar e esterilizar. Porém, muitas vezes na correria esses três passos não são realizados ou, não são feitos de maneira adequada e podem causar alguns transtornos. O melhor é ter seu próprio kit, mas faça a limpeza toda vez que for ao salão para evitar possíveis contaminações.

Ter as unhas saudáveis e bem feitas faz parte da projeção positiva da imagem. Cuide bem das suas e lembre-se dessas dicas quando for à manicure.

Bjks,

Giane Carvalho

Fonte: Beryllos – Fundada em 2016 pela empreendedora Luzia Costa. Surgiu para mudar o conceito do mercado de “fazer a unha”, com o método de “cuticularia” que consiste em desbastar as cutículas com uma ponta diamantada, mantendo a real proteção das unhas, sem o risco de cortes e machucados. O novo processo visa tanto o embelezamento, quanto a saúde das unhas das mãos e pés. A rede conta com materiais descartáveis e esmaltes individuais (de 4ml), para prevenir problemas de saúde.

Share Button

Antes feito que perfeito!

Share Button

Olá bauzete e bauzeiro! Provavelmente você já ouviu essa frase:

Talvez você já tenha se perguntado que tipo de máxima é essa que estimula as pessoas a levar as coisas “nas coxas”. Pois bem meu caro, esse artigo é um convite a ressignificar o ditado.

Esse discurso não é sobre se negar a excelência, pelo contrário, é sobre o único método para atingi-la: A prática.

Só alcança a perfeição quem faz algo acontecer e é sobre isso que estamos falando aqui.

O perfeito começa hoje, fazendo o que se pode, com o que se tem e onde se está. Não existe outro lugar fértil a perfeição se não o aqui e o agora, então jogue as sementes.

Pesquisem sobre essa mulher. É INCRÍVEL!

Se você está em busca do perfeito por outro caminho que não seja a prática, provavelmente já se pegou procrastinando, cansado sem ter feito nada, angustiado ou estressado sem causa aparente. Meu caro, a oportunidade é um cavalo que passa selado, se você não monta, outro monta, porque ele não estava esperando a melhor hora do dia, a experiência em cavalgada ou um animal mais classudo, e creia, é realmente péssima a sensação de ver seu cavalo indo embora com outro cavaleiro. Então comece abraçando o que lhe é proposto, como lhe é proposto.

Esperar pelas condições perfeitas para realizar alguma coisa é dar um baita tiro no pé. Antes feito que perfeito fala sobre o poder do agora, de realmente estar realizando algo ao invés de apenas idealizar.

Aristóteles deixou a mais perfeita definição sobre excelência, quando disse que ela não é um feito, mas sim um hábito. Ou seja, adquirimos quando repetidamente fazemos.

Se você anda perdendo os cavalos, então vamos combinar o seguinte, na próxima entrevista de emprego, ou no seu próximo primeiro encontro, você não vai encher a boca de falsa modéstia pra dizer que seu maior “defeito” é o perfeccionismo. Os perfeccionistas de verdade estão se mexendo.

Experimente talvez, trocar perfeccionista por obstinado fica mais bonito.

Para encerrar eu vou usar uma frase que sempre falo para meus Coachees: Quem dorme sonha, quem acorda realiza!

Eu poderia sugerir que você começasse algo hoje. Mas vou fazer diferente: Hoje, termine algo.

Beijos! Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida.

 

 

Share Button

Armário Cápsula – O que é e como montar o seu.

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros. Vamos conversar sobre estilo de vida? O papo hoje é sobre slow fashion, consumo consciente, Armário Cápsula.

Armário-cápsula é um termo criado pela britânica Susie Faux nos anos 70, consiste em ter uma pequena coleção de itens essenciais e atemporais.

Atualmente o termo também se refere a um grupo de peças que quando combinadas entre si, maximizam o número de looks. O objetivo de ambos os conceitos é ter looks ideais para todas as ocasiões mas sem gerar acumulo de peças.

O desafio raiz é viver com apenas 37 peças de roupas que são atualizadas a cada três meses – sem comprar nada nesse período.

Montagem:

Existem diversas formas de organizar um armário-cápsula, o que eu defendo é colocar sua personalidade e necessidades nele, a sugestão é uma coleção a cada estação. A ideia é não comprar nada, nada, nada durante esse período, exceto necessidades extremas. E as peças de cada estação serão guardadas para a volta da temporada.

A quantidade de roupas é uma escolha pessoal 15, 30, 45… E nesse número, incluem-se também os acessórios como bolsas, lenços e sapatos.

Eu decidi viver essa experiência e comecei a movimentar a transição.Por que? Porque eu sempre mantive um número mínimo de roupas, mas descobri que posso viver e me sentir melhor com bem menos. Isso tem muita coerência com meu estilo de vida e minhas escolhas atuais.

Como eu vou fazer: Montar meu armário com no máximo 45 peças de base, não farei a troca entre estações, exceto das peças extremamente sazonais como lãs e biquínis.

Como começar:

  1. Autoconhecimento: Defina seu estilo. Sugiro as perguntas: Como gosto de me sentir? / Como quero parecer?
  2. Qual meu esquema de cores: Você não precisa usar somente cores básicas se não gosta delas, armário cápsula não é privilegio dos básicos, mas busque dar preferência para cores neutras para as peças base. Olhe com carinho para atemporais, evite as “cores do ano”.
  3. Escolha seus padrões: Assim como as cores dê preferência aos atemporais.
  4. Opte por qualidade: A ideia é ter poucas roupas certo? Então elas precisam durar para ser usadas várias vezes. Qualidade e preço nem sempre estão atrelados, mas se em alguns casos estiver, pense nisso como investimento. Mais uma vez sugiro que as peças bases recebam maior recurso.

Na prática:
1. Faça uma boa faxina, desapegue, doe, venda ou troque as peças que não te representam mais. Mandar pra um Brechó é bacana, você capitaliza para as próximas compras.

2. Crie uma pasta de armário cápsula ideal no seu celular, isso ajuda na hora das compras. é tipo aquela lista que levamos ao super pra não comprar aleatoriamente.

3. Busque na internet aqueles quotes de itens básicos para um guarda roupa estiloso, pode te ajudar a não esquecer de nada.

Quais são os benefícios de limitar o guarda roupa:

  • Otimização de recursos:  Nada de desperdícios de peças, peças esquecidas quase sempre são compradas em duplicata.
  • Otimizar o espaço no seu guarda-roupa:  O que faz você enxergar tudo que tem e não comprar peças em duplicata rsrsrs… Sim tá tudo muito ligado!
  • Otimiza tempo: Pois facilita a escolha das roupas, são poucas opções, você realmente ama tudo que escolheu e tá tudo ao alcance dos olhos.
  • Reforço na identidade e auto estima: Afinal de contas vai vestir apenas o que você é, o que te projeta bem e o que realmente faz sentido pra você. A auto estima vem por tabela, coerentes com nossa identidade concentramos nossa intenção e modificamos nossas realidades (já falamos disso aqui)
  • Mais poder pessoal: Menos compras impulsivas exigem mais assertividade, a pratica de ser assertivo se torna um hábito, essa habilidade é somado a sua personalidade, aquela que fica contigo a vida inteira, não sai de moda e não é descartada quando rasga.
  • Otimização do dinheiro: Você não comprará roupas novas por pelo menos três meses ou mais como no meu caso. Nesse período terá tempo para organizar suas finanças.
  • Dar mais valor a você se tornar mais criativa: Pois será a principal peça base e  terá que desenvolver muitas combinações com pouco, esse despertar da criatividade exercita em nós a habilidade de gerenciar recursos e solucionar crises.
  • Vai cuidar da saúde: As roupas precisam servir por mais tempo.

Economicamente, ecologicamente e socialmente saudável, essa é a minha escolha pro momento, vou adorar saber o que vocês estão aprontando por ai. Vamos cocriar!

Talvez esses outros artigos te interessem: Consumo compulsivo e Minimalismo.

Beijos e Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga / Coach Executivo e d Vida.

Share Button

Pelo fim do Feminicídio e da Cultura do Estupro

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje queremos conversar sobre a questão da violência contra a mulher e da cultura do estupro.

Vamos relembrar alguns casos recentes que foram destaque na mídia:

Em maio de 2016, uma adolescente de 16 anos sofreu estupro coletivo em uma comunidade no Rio de Janeiro. Videos e fotos da barbárie foram divulgados na internet e sete homens foram indiciados.

Em outubro de 2016, a adolescente de 16 anos Lucia Perez foi drogada, estuprada e empalada na cidade de Mar del Plata, na Argentina. O caso foi o estopim do protesto chamado “Ni Una Menos”, realizado por mulheres argentinas e que ecoou em outros países.

Diariamente encontramos notícias sobre feminicídio e estupro e os dados são alarmantes.

De acordo com a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, Feminicídios são assassinatos marcados por impossibilidade de defesa da vítima, torturas, mutilações e degradações do corpo e da memória.

No Brasil, a taxa de feminicídios é de 4,8 para 100 mil mulheres – a quinta maior no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em primeiro lugar está El Salvador, seguido por Colômbia, Guatemala e Rússia.

As notícias geralmente são acompanhas de comentários do tipo “só acontece com mulher a toa que fica na rua. Se ficasse quieta dentro de casa, estaria salva”, “É uma vagabunda mesmo, procurou, achou”, e por aí vai.

Só que é no universo doméstico que ocorrem 55,3% dos assassinatos, 50,3% cometidos por familiares, 33,2% dos algozes são o marido, namorado ou ex.

Neste momento que você lê o nosso post, uma mulher está sendo ameaçada, assassinada, estuprada, mutilada. Em menos de 12 minutos, já aconteceu. Confira no vídeo produzido pela equipe R ao Cubo:

 

Não é mimimi de feminista, é uma realidade terrível que precisa ser encarada com coragem e discernimento.

Para acabar com a violência contra a mulher e a cultura do estupro, você pode ajudar, por exemplo:

  • Não fazendo e não rindo de piadinhas sexistas
  • Não endossando o coro que a mulher mereceu. Ninguém, independente da roupa, do corpo, do comportamento, pede para ser agredida e morrer.
  • Aceitando que NÃO é NÃO e que a investida nesse caso é crime.
  • Educando para o respeito à todos os seres humanos
  • Denunciando a Delegacia de Defesa da Mulher e à Central de Atendimento à Mulher pelo telefone 180. O serviço de utilidade pública é gratuito e confidencial. O atendimento é oferecido 24 horas por dia, todos os dias, inclusive sábados, domingos e feriados

Participamos da Campanha #seeudissernãoéestupro, realizada pela revista Marie Claire em junho de 2016. Não importa quantas doses você bebeu, com quantos você saiu, o que você estava vestindo – e, principalmente, o que você não estava vestindo. Se disser não, e alguém a forçar, é estupro.

O Blog Baú Hype tem a missão de ser do bem, de propagar coisas boas. Por isso, achamos importante falar sobre este tema a fim de propor a reflexão e, quem sabe, a mudança de atitudes e pensamentos por parte de quem acha um gênero é superior ao outro e quem está no topo pode fazer o que quiser.

Não deve existir distinção. Todos merecem ser tratados de forma respeitosa, educada e pacífica. ♥

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

7 dicas para quem quer passar o Carnaval no sossego

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

E aí, animado para o Carnaval? Vai para a folia, prefere descansar ou não terá folga?

Boa festança p/ quem é de festa e bom trabalho p/ quem não poderá parar.

O post de hoje é p/ quem prefere passar os dias no relax, na calmaria.

Olha as dicas do Guichê Virtual* p/ vc ficar sossegado:

1) Pesquise os destinos antes de viajar

Comprar a passagem para a cidade sem antes saber dos eventos que vão acontecer nela pode ser uma furada. Dependendo da cidade, acontecem diversos blocos de rua e desfiles pela cidade, o que pode atrapalhar os seus planos de fugir do carnaval. Por isso, entre nos sites das prefeituras e fan pages para se informar.

2) O interior esconde maravilhas

Já parou para pesquisar sobre as cidades perto de onde você mora e os atrativos que elas podem ter? Muitas cidadezinhas de interior escondem cachoeiras e trilhas incríveis! E acredite, mais tranquilo que isso, impossível.

3) O ecoturismo é o seu amigo

Chapada Diamantina, Nobres, Foz do Iguaçu, Caldas Novas e Rio Quente são alguns dos destinos que são completamente focados na natureza e ecoturismo. Dificilmente você vai ver um bloco de rua nesses lugares, apenas paz e sossego.

4) Mochilão para a Argentina

Carnaval aqui, sossego no país Hermano. Ir de ônibus até Buenos Aires é um dos desejos de muitos viajantes. E pode ficar mais barato do que você imagina. Aproveite para conhecer o país vizinho, outras culturas e as paisagens que só podem ser vistas da janela de um ônibus.

5) Resorts e Spas

Existem muitos spas e resorts espalhados pelo Brasil. Não precisa ser somente na praia ou na montanha, basta pesquisar!

6) Bloco dos Avós

Se você vive longe da família e dos seus avós que moram naquela cidadezinha pacata, pode ser uma ótima época para visitá-los. Viaje na expectativa de receber aquele abraço gostoso e aquele café da manhã bem servido que só sua família faz.

7) Bloco do Sofá e Netflix

E para completar a lista de opções de dicas para fugir do carnaval, nada melhor que um sofá confortável, um balde de pipoca e muitas séries no Netflix.

Bom descanso!

Bjks,

Giane Carvalho

*O Guichê Virtual é uma plataforma de venda de passagens de ônibus para todo o Brasil.

Share Button

Mitos e verdades sobre as varizes

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje vamos trazer algumas informações sobre Varizes.

Fonte da imagem: www.advancedveinctr.com

Genética, idade e sexo. Esses são os três principais fatores de risco para o desenvolvimento das varizes — veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função causando danos estéticos e danos circulatórios. “Enquanto o fator genético é preponderante, o envelhecimento é um agravante; além disso, as mulheres são mais propensas ao desenvolvimento das varizes, por influência hormonal, já que têm as veias mais flácidas que os homens”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, médica do corpo clínico do Hospital Albert Einstein.

Mas existem outros fatores que podem ocasionar ou agravar o problema. Por exemplo, a gravidez, a obesidade e ficar muito tempo em pé ou sentado com as pernas cruzadas ou curvadas. Não existe prevenção absoluta, mas há algumas medidas para retardar o seu aparecimento ou melhorar a circulação sanguínea. Mas será que é necessário abolir o salto alto, cancelar a musculação e não se depilar mais? A cirurgiã vascular explica:

Salto alto provoca varizes?
“Não. Na verdade, não existe consenso em literatura científica que o uso de salto alto a longo prazo possa causar varizes. Mas devemos levar em conta que alguns trabalhos sugerem que existe, sim, um prejuízo no retorno venoso com o uso do salto. Também devemos levar em consideração que seu uso contínuo causa alteração de postura, encurtamento de tendão de Aquiles, e uma série de problemas ortopédicos. Existe um consenso entre os médicos que o mais adequado seria, no caso das usuárias mais assíduas de salto, que tentassem alternar a altura: com mais grossos (que dão mais estabilidade), dar preferência aos saltos de 3-4 cm para uso diário, e é claro, fazer atividade física regular e alongamento para tentar minimizar os efeitos deletérios que o salto pode causar”.

E fazer depilação com cera quente?
Não causa varizes nem vasinhos nas pernas. “As varizes são veias dilatadas na camada subcutânea; os vasinhos ocorrem dentro da camada da pele. Acreditava-se que a depilação por cera quente poderia desencadear o aparecimento pela vasodilatação provocada pelo excesso de calor, mas isso nunca teve corroboração em trabalhos científicos”, explica a cirurgiã.

E musculação?
“Assim como todo exercício que aumente a bomba muscular da panturrilha, a musculação é uma aliada, porque ajuda no retorno venoso.” A angiologista argumenta que os exercícios aeróbicos (nadar, correr, caminhar e pedalar) são os ideais para mexer o corpo e fugir do sedentarismo, o principal vilão para o surgimento das varizes. “No caso de quem pratica halterofilismo existe aumento do calibre das veias e diminuição da camada de gordura, o que torna as veias bem aparentes, porém cabe ressaltar que essas veias são normais, e não varicosas.”

Subir escadas dá varizes?
“Esse é um grande mito. Na verdade, esse é um exercício excelente para o retorno venoso”, explica. “Se fosse assim, proibiríamos aula de STEP nas academias. E é um exercício excelente para treinamento cardiopulmonar e extremamente benéfico para musculatura da perna”, argumenta. Exercícios de impacto como pular cordas também não pioram as varizes.

O problema da gravidez
“Um dos fatores que fazem com que as futuras mamães apresentem o problema nas pernas é hormonal: a progesterona aumenta a dilatação de todas as veias do organismo”, explica. Além disso, o crescimento do feto eleva a pressão nas veias das pernas. Para minimizar o problema, a recomendação é o uso de meias de compressão a partir do segundo mês de gravidez. O ideal é colocar pela manhã e tirar apenas na hora de dormir.

Anticoncepcional piora
O anticoncepcional é um fator agravante, por ser hormonal, explica a Dra. Aline. Além disso, o anticoncepcional aumenta a incidência de tromboflebite (inflamação da veia com formação de coágulo). Por conta do estrogênio, o método contraceptivo oral também aumenta o número de vasinhos.

Cuidado com as varizes!
Dependendo do grau, elas podem até causar úlceras varicosas. “Cada caso requer um tipo de tratamento, que pode ser por meio da escleroterapia (substância química injetada dentro da veia), uso de lasers e radiofrequências, ou procedimentos que combinem as técnicas”, explica. Cirurgias também podem ser indicadas, a depender do caso.

Fonte: Cirurgiã vascular e angiologista, Dra. Aline Lamaita, formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e do American College of Phlebology. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. http://www.alinelamaita.com.br/

Share Button

Palestras e Workshops do Baú Hype

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje quero contar p/ vc sobre um trabalho que fazemos no Vale do Paraíba – SP, onde moramos. São palestras e workshops sobre Projeção Positiva da Imagem e Posicionamento Profissional.

Estudamos bastante sobre esses temas e gostamos de dividir o que aprendemos. Então preparamos um material base que é revisado a cada conversa extra-blog e adaptado ao grupo que estará com a gente.

Já conversamos, por exemplo, com clientes de loja de cosméticos e de lingerie, evento do Dia da Mulher organizado por uma clínica odontológica em Aparecida, adolescentes do CRAS – Centro de Referência de Assistência Social de Lorena, evento de moda e beleza promovido pelo Buriti Shopping, alunos da ETEC – Escola Técnica Estadual de Lorena, FATEC de Guaratinguetá e Cruzeiro e Unifatea, em Lorena.

Workshop na Yes Cosmetics Guaratinguetá

Evento no Buriti Shopping Guara

Palestra p/ mulheres na Clinica Santa Clara Odontologia, em Aparecida

Palestra sobre Imagem e Estilo na Fatec Cruzeiro

Tivemos um programete na Inova FM com dicas de Marketing Pessoal e já falamos sobre o assunto em outras emissoras do Vale.

Nossa conversa se ajusta ao tempo disponivel e ao grupo interessado. Então temos workshops que duram de 3 a 4 horas e palestras de 40, 50 minutos. Falamos sobre a importância do cuidado com a imagem pessoal e profissional, como projetá-la de forma positiva e os passos para você se organizar e atingir seus objetivos.

E quanto custa esse nosso trabalho? Nada, é voluntário. Fazemos como uma missão. Já que o Universo nos concede a oportunidade de aprendermos sobre esses temas e exercemos outras atividades remuneradas, optamos por fazer as palestras e workshops de coração. O que a gente solicita, se possível, é auxílio combustível para cidades distantes de Guará e infraestrutura com computador e datashow. Cachê mesmo, não recebemos. =)

Gostou da proposta? Quer levar nossa palestra ou workshop p/ o seu grupo? Acha que podemos ajudar? Então entre em contato pelo mail contato@blogbauhype.com.br ou inbox da page do blog.

Se vc é de alguma cidade do Vale do Paraíba – SP, tem um grupo sério que possa achar nosso conteúdo interessante, fale com a gente.

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Sobre cabelo e empoderamento

Share Button

Olá Bauzete amiga/o, tudo bem?

Hoje quero contar p/ vc o que aconteceu comigo e com o meu cabelo nos últimos dois anos, o que me levou a deixá-lo cacheado e comprido. Adianto que não foi só por vaidade. Foi um processo de EMPODERAMENTO, palavra que está em alta e que é uma coisa linda quando incrusta na alma da gente. ♥

O que é Empoderamento?

Ok, e o que cabelo tem a ver com isso?

Tem a ver quando vc se conhece e percebe que ter o que cabelo, o corpo, o estilo que vc quer, à sua maneira, que te agrada, sem se preocupar com a moda e com as expectativas dos outros, você fica em paz, se fortalece, ganha autoconfiança e se posiciona melhor na vida. Você passa a se amar, a se respeitar e isso se reflete na sua forma de lidar com os outros e com as situações.

Fonte: Instagram dos nossos amigos da Alastra Comunicação.

Quando comecei a jornada da transição, como contei nesse post, queria me livrar da progressiva que me forçava a fazer escova no calor, a não encarar praia e piscina sossegada, a não um monte de coisas. Depois fui vendo que esse processo estava mexendo com o meu interior e com a minha postura. Entrei em grupos do Facebook e conheci moças maravilhosas, suas histórias e entendi que deixar o cabelo natural ou colorido, liso ou crespo, careca, curto ou comprido, do jeito que VOCÊ gosta, é importante para mostrar ao mundo que você se respeita, respeita o outro, tem segurança do seu potencial e  não sofre, não fica doente para entrar em fôrmas difíceis, às vezes cruéis, para agradar a platéia.

Depois que tirei a progressiva, mantive meu cabelo curto por anos. Adorava!

Até que há dois anos, mais ou menos, resolvi que não iria mais cortar o cabelo no salão. Já sabia cuidar e aprendi a cortar também. Peguei o jeito do bichinho, conquistei autonomia e fui cuidando dia após dia p/ que ele crescesse de forma saudável (sou adepta do low poo e do co-wash e faço botox ou alinhamento dos fios a cada 3 meses, única coisa que ainda me leva ao salão). Esse processo melhorou minha autoestima e me empoderou. Me senti muito melhor, mais forte, produtiva, criativa, equilibrada, etc.

Comprimento atual

Há quem ache bonito assim e há quem ache que eu devo cortar porque porque antes eu tinha uma imagem mais moderna (ou seja, fiquei Jeca com esse cabelão), que eu gasto muita energia cuidando dele e que poderia ser usada em outra coisa mais “produtiva”, que eu virei o meu cabelo.

Se eu passasse por um visagista, provavelmente ele também me falaria p/ cortar essa juba porque ela não combina com a minha idade nem com a minha imagem profissional. Amo visagismo, aliás ainda quero fazer cursos nessa área, mas acho também importante respeitar o momento e a alma da pessoa.

Se o cabelo curto ou comprido faz com que ela tenha vontade de se abraçar, de abraçar o mundo e dar o melhor de si em suas atividades e relações, então que use assim, né?  Se todos pudessem cultivar esse sentimento, imagina que revolução positiva nós teríamos? 😉

Desejo de coração que meu relato possa ser interessante p/ quem está passando pela transição, se autoconhecendo, buscando sua melhor imagem p/ se tornar uma pessoa melhor.

Se você já alcançou esse estágio, parabéns pela conquista! ♥

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Dicas para ser fashion blogger

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje queremos conversar com vc que tem vontade de ser blogger de moda.

A moda faz parte da nossa vida, nos ajuda a imprimir uma personalidade e abre diversas oportunidades para quem gosta do assunto. O faturamento das vendas online no segmento foi de R$ 5 bilhões no Brasil no último ano, segundo dados do Google, valor que justifica a categoria estar no top dos segmentos mais vendidos no e-commerce, de acordo com o último relatório divulgado pelo e-Bit.

Um fator que vem sendo positivo para impulsionar o mercado são os blogs e fóruns na internet. Segundo levantamento realizado pela Zanox, maior rede europeia de afiliação, 49% dos usuários buscam informações nessas mídias antes de efetuar uma compra, enquanto apenas 36% vão direto para o site oficial da marca.

O papel do blogger é, portanto, muito importante neste segmento e aí está uma ótima oportunidade de carreira. Se você pretende desenvolver suas contas nas redes sociais ou o seu blog com foco no mundo da moda e se tornar um(a) influenciador(a) capaz de chamar a atenção das marcas, com as dicas da Zanox ficará mais fácil.

1. Defina seu estilo

Os fashionistas do Instagram oferecem uma ótima fonte de inspiração para seus próprios negócios, e pode ser tentador seguir o exemplo do estilo da sua blogueira favorita. Porém, a cópia não vai te levar ao sucesso. Encontre seu próprio estilo e imprima nele a sua personalidade. Se, de repente, você não tiver interesse em moda do dia a dia, pode investir em algo mais singular, como moda dos anos 50 ou gótica, por exemplo.

2. Seja positivo

Como blogger fashion, você está retratando um estilo de vida. Você passa a ser uma referência e fonte de inspiração, por isso é muito importante adotar uma atitude positiva ao interagir com os seu público. Isso não significa que tópicos sérios sejam evitados, mas abordar esses temas com confiança e firmeza fará com que o seu canal seja mais atrativo.

3. Defina objetivos

Para celebrar o sucesso, é importante saber que você está trabalhando com um objetivo. Defina metas, alcançá-las o deixará orgulhoso de si mesmo. Além de satisfação pessoal, definir seus próprios objetivos o ajudará a manter-se focado. Principalmente quando se inicia um blog, existem muitas oportunidades a serem aproveitadas. Seguir um plano que te ajuda a se organizar pode ser o caminho do sucesso.

4. Ouça seus leitores

Se você já tem uma comunidade engajada nos seus canais, parabéns, você está no caminho certo! Lembre-se que seus leitores são a conquista mais importante. Eles dão vida ao seus posts ao comentar e compartilhar opiniões. Eles curtem, compartilham e interagem com seus canais assim como têm um importante papel em trazer anunciantes, com os quais você pode formar uma parceria no futuro. Leve sua audiência a sério. Ouça com atenção, responda e mostre sua apreciação por eles, além do respeito por seus feedbacks.

5. Use hashtags relacionadas à moda

Instagram é uma ótima rede para se descobrir bons conteúdos. Assim como as palavras-chave do Google, as hashtags são ferramentas perfeitas para encontrar imagens novas e interessantes. Desse modo, para ajudar os usuários a encontrar seus posts, não esqueça de adicionar hashtags relevantes. Tente algumas mais gerais de moda, e adicione algumas mais específicas que descrevem seu estilo ou imagem, para que elas sejam encontradas por quem está procurando este estilo. Existem muitas ferramentas, sites e aplicativos que te auxiliam a encontrar hashtags. Adicionalmente, existem hashtags trending que você pode descobrir nas fotos dos seus Instagrammers preferidos.

Uma das receitas para o sucesso é fazer o que você gosta e se divertir. Tentar ser alguém que você não é não vai segurar essa paixão a longo prazo. Encontre seu estilo e trabalhe com marcas que você gosta, isso vai passar autenticidade e gerar engajamento do seu público.

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Consumo compulsivo. Como se livrar desse hábito destrutivo.

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros! Simmmm temos garotos frequentando o blog!

Esse post foi escrito para quem QUER ajuda. Comprar em excesso é um erro banalizado, isso está mudando, mas ainda é para alguns status de “poder”, quem sofre as consequências da pseudo alegria do consumismo sabe o sofrimento que existe por trás desse péssimo hábito.

Aqui vão algumas dicas para conseguir driblar esse comportamento:

  1. Desative os e-mail marketing das lojas. Tire os sites de compras da aba de favoritos e saia dos grupos de compra e venda, essas ferramentas são pensadas para nos persuadir e apesar de deliciosas são sempre um convite ao consumo. Se possível bloqueie o acesso a esse tipo de conteúdo no computador e também no seu celular.
  2. Limite-se a ir apenas onde precisa, se tem que ir a papelaria, vá a papelaria. Seja objetivo, antes de sair de casa determine um trajeto e tenha sempre uma lista das coisas que realmente precisa comprar.
  3. Não deixe a loja vir até você. Sabe aquela “amiga” revendedora que se convida pra ir a sua casa toda vez que tem novidade? Já percebeu que sem a “sacola” ela não aparece pra te visitar? Você sempre acaba comprando algo que não precisa, comece a rever seus contatos e os interesses deles. Aprenda a dizer não.
  4. Mantenha seus pertences organizados, é sempre difícil achar algo bacana em meio a tanta bagunça. Tudo parece inútil quando está sujo ou amassado.
  5. Liste e explore o que você já tem. Pare de listar o que não tem. Se gasta muito com roupas por exemplo, prove cada uma e crie uma lista com as combinações que dão certo, experimente novas combinações, deixe essa lista ao alcance dos olhos e vá editando esse material de acordo com as experiências. Isso vale para cada tipo de consumo. É comida? Liste a geladeira. Itens para casa? Para o carro? Liste o que já tem e como pode valorizar aquilo.
  6. Faça trocas.  O que você não quer mais, pode ter utilidade para alguém certo? E de quebra essas pessoas podem estar desapegando de algo que você precisa ou quer muito. Uma alternativa bacana é vender e comprar desapegos em brechós e sites de usados.
  7. Faça uma dieta financeira, estabeleça prazos e quando bater aquela vontade de gastar, leia um livro, faça algo produtivo, de preferência que te faça ganhar dinheiro, não perder… Evite procrastinar. Ao final do prazo se presenteie.
  8. Não aceite cartões de lojas e evite compras longamente parceladas, os juros são abusivos e chegam a ter o valor integral da compra. Se for preciso cancele seu cartão de crédito. Sim, porque esconder não adianta mais, você já decorou o número e até o código de segurança.
  9. Não se sabote, liquidações são ótimas, mas você não é obrigado a participar. Não adianta se enganar comprando coisas baratas na tentativa de se isentar da culpa, você vai acumular uma quantidade de produtos sem valor financeiro ou de uso, isso irá se tornar um problema maior futuramente.
  10. Pense nas coisas que você perde com seu comportamento consumista, no quanto isso afeta suas relações, em quantos lugares bacanas você deixa de ir, no futuro que você deixa de planejar e no quanto o pós-compra te deprime. Isso se chama motivação pela dor.
  11. Faça mais programas caseiros, chamar os amigos e dividir as tarefas da noite é super justo, além de interativo, cada um pode levar um prato ou pagar metade da pizza.
  12. Explore os recursos, faça viagens curtas, conheça sua região, experimente coisas mais simples, você vai se surpreender com as emoções que um simples picnic pode proporcionar. Nos acostumamos erroneamente a procurar felicidade em luxos. Esse ano experimente algo diferente disso.
  13. Caia na real, seus hábitos de consumo são coerentes com o seu estilo de vida? Precisamos nos monitorar quanto a isso, muitas vezes a intenção é positiva, talvez demonstrar um certo poder aquisitivo (que não se tem) seja uma defesa à deficiências emocionais muito íntimas e nunca antes exploradas. Avalie isso de maneira sóbria e entre em ação contra esse sentimento, afinal de contas, máscaras desse tipo caem muito rapidamente e sempre nos expõem ao ridículo. Quase sempre no intuito de tapar um buraco acabamos caindo em outro maior. Lembre-se, você não precisa provar nada pra ninguém.

Experimente esses passos e caso não consiga sozinho peça ajuda profissional. Terapia e técnicas alternativas não são motivo de vergonha, vergonha é cair e ficar beijando o chão.

Abraços apertados! Se cuidem.

Bel Ramalho – Coach Executivo e de Vida.

Share Button