Arquivo da Categoria: Dicas

Conheça a Vista Verde Ecostore

Share Button

Olá queridos que passam pelo Baú, tudo bem?

Hoje temos uma novidade maravilhosa! Fizemos parceria com a Vista Verde Ecostore, loja de Guaratinguetá que tem tudo a ver com os valores de consumo consciente e sustentabilidade que divulgamos no blog.

Segundo a gerente e proprietária Cláudia Fernandes, a loja existe há 2 anos e trabalha com roupas e acessórios ecologicamente corretos. Todas as peças contam uma história, ou seja, trazem informações de como e por quem foram produzidas e com quais materiais, geralmente naturais como algodão ou reaproveitados, que iriam para o lixo mas tiveram um aumento da vida útil transformando-se em outra coisa.

Veja alguns exemplos de produtos que você encontra lá:

Carteiras Jullia Tedesco feitas com retalhos e lona de cama elástica

Bolsa Jullia Tedesco feita com fita de Slack Line e persiana

Colar Jullia Tedesco feito com corda ou alma de escalada

Bijus da Design Natural, feitas com fios de algodão

Peça da Tiê que durante o processo de fabricação, utilizou amaciante feito a base de casca de arroz

Mochila Cooperárvore feita de cinto de segurança e tecido de estofamento de carro doado pela Fiat

A malha da camiseta foi feita de fios de garrafa pet e algodão orgânico. É incrivelmente macio e confortável.

Lancheira térmica Maantiquira feita com tecido sustentável EcoSimple e couro vegano.

Carteiras feitas de fitas VHS e algodão, em tear manual

Blusas de malha de bambu que tem a textura mais gostosa de todas ♥

A loja tem também peças infantis feitas de algodão e coloridas com corantes naturais e peças masculinas.

Uma coisa importante é que as peças da Vista Verde não são de modinha. São peças clássicas, atemporais e com tecidos que duram anos. São para quem respeita o planeta e o seu bolso, que conhece as consequências do lixo gerado pelo consumismo e por isso prefere algo de qualidade que demore para ser descartado. Quando for, causará o minimo ou nenhum dano para o meio ambiente. ♥

A Cláudia traz pouca quantidade de cada peça, então pode ser que quando você for visitar a loja, as que mostramos no post não estejam mais disponíveis. Mas sempre tem novidade! Acompanhe pelo instagram @vista_verde_eco e page no Facebook. 

Não é mesmo um amorzinho de loja? 😉 Fica na Avenida João Pessoa, 1189, loja 14, Best Center (aquele centro de compras no Pedregulho, perto da Sabap), Guaratinguetá- SP.

Quem não for de Guará e gostar de alguma peça, é só falar com a Cláudia que ela envia pelos Correios.

Ah, e logo faremos um sorteio lindo para celebrar essa parceria e envolver você que nos acompanha. Siga o insta do blog @blogbauhype e o da Vista Verde @vista_verde_eco que logo postaremos as regrinhas para você tentar levar esse duo de acessórios da Design Natural:

Logo faremos sorteio desse duo da Design Natural. Fique de olho no insta do Blog e da Vista Verde Ecostore. 😉

Gostaram?

Nós adoramos e estamos felizes em trazer essa novidade para vocês. Agradecemos à Vista Verde Escostore por estar conosco.

Bjks,

Giane Carvalho

 

Share Button

Visita ao Instituto Inhotim

Share Button

Olá gente linda que passa pelo Baú, tudo bem?

Saudade de postar e dividir coisinhas com vcs! Julho foi mês de férias, então aproveitei para passear e por isso fiquei off.  Agora estou de volta e quero que vocês conheçam um lugar incrível que visitei, o Instituto Inhotim, considerado um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. Fica em Brumadinho, Minas Gerais, a 60km de Belo Horizonte.

Fui com a minha amiga Gizelle Leite que mora em BH e já foi mais de 10 vezes ao Inhotim. Ou seja, é quase uma guia do lugar e nessa eu que saí ganhando porque com a ajuda dela, consegui ver quase tudo, acho que uns 90%, em 5 horas. Chegamos às 11h e saimos às 16h30, horário que o Instituto encerra o expediente. Se tivesse ido sozinha, não teria visto metade. Obrigada, Giii! ♥

A entrada custa 40 reais e tem a opção de pagar meia. Tem também a opção de pagar a taxa de transporte dentro do parque que é feita por um carrinho elétrico, tipo aqueles da Globo. Essa taxa é de 28 reais. Nós optamos por pagá-la para que não ficasse tão cansativo e para que desse tempo de ver mais coisas. Quem não quiser pagar, não precisa. Dá p/ fazer as rotas a pé, mas o que você economiza com o carrinho, gasta de tempo caminhando (aliás, mesmo com o carrinho, anda-se MUITO lá, são 140 hectares, vai vendo!) e de esforço físico. Fica a critério do visitante. 😉

Quem paga a taxa, usa uma pulseira de cor diferente de quem não paga. Aí é só ficar esperando o carrinho nos pontos específicos que podem ser vistos no mapinha que você ganha na entrada e ele te leva até as Galerias de arte.

 

Mapa do Inhotim. Cada cor é uma rota que vc pode fazer a pé ou de carrinho que passa onde tem pontinhos brancos.

São 23 galerias e 7 jardins temáticos. Nós visitamos 15. Não deu tempo de ver as outras. =(

Tem também 30 destaques botânicos, ou seja, tipos de plantas exóticas e 23 obras a céu aberto.

Dentro de cada galeria, você observa obras que podem ser interativas ou não, audiovisuais, sonoras, fotográficas, etc. Todas são surpreendentes.

De Lama Lâmina, de Matthew Barney

Fizemos graça no espelho do Domo de aço e vidro que abriga o trator =D

Narcissus garden, de Yayoi Kusama Nagano, a princesa das bolinhas ♥

Galeria Adriana Varejão

Desvio para o vermelho, de Cildo Meireles. Essa tem uma parte sinistra. Que medo! Mas é sensacional!

Glove Trotter, de Cildo Meireles

Instalação A Luz de Dois Mundos, de Tunga, mas pode chamar de caveirão.

Beam drop Inhotim é demais, merece até uma legenda especial. “Numa ação que poderia ser descrita como performática, durante 12 horas um guindaste de 45 metros de altura lançou em uma poça de cimento fresco as 71 vigas que compõem a obra. O resultado desta operação de alto impacto é uma escultura de grandes dimensões que ocupa o alto de uma montanha em Inhotim, que se relaciona de maneira marcante com seu entorno, criando uma visão épica em meio à paisagem. O padrão aleatório da escultura é formado pela queda das vigas, combinando o controle do artista, que mirava o guindaste na poça de concreto fresco, à violência e o acaso provocados pelo peso do material…Frequentemente em sua obra, Burden cria situações extremas e perigosas, desafiando os limites físicos dos materiais, que, metaforicamente, questionam as categorias estáveis de poder e status.”

A impressão que eu tive é que era algo emergindo da terra, tipo um cristal. O efeito é fantástico!

Mais de pertinho

#eufui #eutava

Murais de John Ahearn

Elevazione, de Giuseppe Penone. A árvore que está no meio parece de verdade mas é de bronze. Está presa ao chão por pés de aço. Ao seu redor estão árvores de verdade que, com o passar dos anos, irão crescer e se aproximar da escultura.

A Galeria Claudia Andujar é uma das mais recentes de Inhotim. Foi inaugurada em 2015 e é fantástica!

“Com 1.600 m², a Galeria Claudia Andujar é o segundo maior espaço expositivo do Inhotim e é dividida em quatro prédios, que recebem blocos da exposição. O projeto é assinado pelo escritório Arquitetos Associados, de Belo Horizonte/MG, parceiro recorrente do Instituto. São eles os responsáveis por construções premiadas do Parque, como a Galeria Miguel Rio Branco e o Centro de Educação e Cultura Burle Marx. A construção da Galeria Claudia Andujar se deu com o apoio do Banco Santander.” – Fonte: Blog do Inhotim

Dentro dos blocos há uma exposição de fotografias realizadas pela artista entre 1970 e 2010 na Amazônia brasileira e com o povo indígena Yanomami.

Durante as andanças pelo Instituto, se o cansaço chegar, você pode descansar em banquinhos como esse que estão espalhados por todo o Instituto:

E se a fome apertar, tem um restaurante $$$$$, outro $$$, uma lanchonete perto da entrada que tem salgados muito bons por um preço razoável (foi lá que nós comemos, claro) e há uma hamburgueria com dois tipos de hamburgueres, um de carne e um veggie, fritas e milk shake. Só. Preço de hamburgueria gourmet.

Não é permitido fazer piquenique, ou seja, nada de entrar com comilança, mas pode levar um lanchinho discreto na mochila, comer em um desses bancos e JOGAR O LIXO NO LIXO. Lá é tudo muito limpo e organizado. É bom manter assim, né? 😉

Pode ser que durante o seu lanche, apareça alguém p/ pedir um pedaço, fique preparado/a…

Levar squeeze ou garrafinha de água também é uma boa. Têm vários bebedouros p/ vc abastecê-la.

Agora um passeio pelas paisagens do Instituto.

Não é filtro nem Photoshop. A água é dessa cor mesmo, graças a um corante natural de feito de algas.

Ficaram faltando fotos de várias galerias que visitamos. É tanta coisa e tanta emoção que a gente até esquece de fotografar. Ficam aqui alguns registros que eu espero que vc tenha gostado. Espero também que vc tenha a oportunidade de visitar esse lugar lindo demais!

Agradeço à minha amiga Gizelle que me deu toda a assessoria e fez a maioria das fotos. ♥

Depois vou postar sobre outro lugar muito bonito que ela me levou p/ conhecer em MG e que vai agradar quem curte turismo religioso.

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

5 mitos e verdades sobre o emagrecimento

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

O post de hoje é p/ quem está fazendo de tudo p/ emagrecer. Se é o seu caso, calma aí!

Primeiro, emagreça se isso for te empoderar, te trazer uma espetacular satisfação pessoal, melhorar sua autoestima e te dar disposição para conquistar seus objetivos. Não queira mudar seu tipo físico para agradar outras pessoas, ok? Só a si mesmo/a 😉

Cuidado com as medidas radicais, como as “dietas da moda” que excluem totalmente alguns tipos de alimentos ou submeter-se a procedimentos cirúrgicos invasivos.

“A velocidade com que as novas dietas surgem e desaparecem está diretamente relacionada ao fracasso das mesmas”, alerta a nutricionista Gladia Bernardi, criadora do método Emagrecimento Consciente. “Se elas dessem mesmo certo, o resultado obtido seria duradouro e não seria preciso, a toda hora, criar uma nova modalidade”, comenta ela.

No entanto, o que pouca gente sabe é que é possível, sim, emagrecer de forma saudável e sem tanto sacrifício. “A obesidade é uma doença mental, e o que precisa ser tratado é a chamada ‘mente gorda’. É fundamental trabalhar a repetição de novos e bons hábitos, que levem à perda de peso sem o uso de remédios, dietas restritivas ou intervenções cirúrgicas. O grande segredo é transformar a maneira como o indivíduo se relaciona com a comida”, recomenda a nutricionista e coach.

A especialista aponta alguns mitos e verdades do processo de emagrecimento:

1 – Dieta sem glúten e sem lactose funciona para todos – MITO

Assim como muitas outras dietas que viraram “moda”, a técnica de eliminar completamente o glúten do cardápio ganhou adeptos entre celebridades e acabou se tornando popular no Brasil e no mundo. No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, nem todas as pessoas se beneficiam dessa estratégia para perder peso.

“Com exceção do 1% da população mundial que sofre de doença celíaca, ou seja, que tem sensibilidade ao glúten, as pessoas acabam emagrecendo com essa dieta por evitarem alimentos calóricos como pão, macarrão ou bolo, que contêm glúten. Ou seja, a questão não é o glúten em si, e sim as escolhas alimentares mais inteligentes”, pondera.

No entanto, Gladia alerta que de nada adianta evitar alimentos com glúten e exagerar no chocolate, por exemplo. “O profissional precisa descobrir qual é o gatilho mental que está sendo acessado pelo seu cliente e como ele é representado no seu corpo com excesso de peso.”

Portanto, segundo a especialista, mais importante do que focar apenas nos itens que compõem o cardápio é descobrir o que faz com que aquele indivíduo coma compulsivamente e “desativar” essa armadilha da mente.

2 – Suplementos podem substituir refeições para emagrecer- MITO

Para Gladia, esse é mais um mito fundamentado somente no imediatismo. “A pessoa até pode recorrer aos suplementos para emagrecer como ‘emergência’ para o verão, mas se esquece de que há vida no outono, no inverno, na primavera. Quem aguenta tomar suplementos durante o ano todo?”, questiona.

Além do mais, lembra a especialista, muitos desses produtos não são regulamentados ou acabam proibidos de serem vendidos no Brasil. Isso acontece por não haver pesquisa que comprove se eles são ou não prejudiciais à saúde. “Além de não emagrecer, a pessoa pode colocar sua própria saúde em risco, principalmente se consumir por conta própria. Por isso, sempre alerto para procurar um profissional de saúde para buscar orientações antes de utilizar qualquer tipo de suplemento”.

3 – Ter o apoio de um bom profissional faz emagrecer – VERDADE

Apenas a prescrição perfeita, de acordo com Gladia, não garante o bom resultado. “Um bom profissional trata a raiz do problema e faz com que o cliente emagreça de forma consciente”, pontua a especialista.

Ela explica que fatores como a autossabotagem e a criação de uma zona de conforto precisam ser combatidos. “O profissional deve dizer ao paciente: ‘Se você quer mudar de vida para sempre, quero fazer uma pergunta: me dê um bom motivo para que eu continue ajudando você’. Assim, o paciente percebe o empenho e passa a buscar o resultado”.

“Todos os pacientes provavelmente já passaram por outros profissionais e métodos, tentativas frustradas de dietas e processos de emagrecimentos inacabados e ou interrompidos. O bom profissional deve saber lidar com essa frustração e apontar o caminho correto”, ensina.

4 – Modificar a mentalidade emagrece – VERDADE

Na opinião de Gladia, a mudança de pensamento é a grande chave para o emagrecimento e garante que os resultados sejam duradouros. “O controle da ansiedade, por exemplo, além de ajudar a emagrecer melhora o sono e a saúde em geral, facilitando o controle de doenças, e, acima de tudo, gerando um sentimento de vitória com os novos hábitos.”

Segundo a especialista, a única forma de tratar problemas como a compulsão alimentar é através da mudança de mentalidade. “A compulsão por comer deve ser vista como um vício, assim como o de um alcoólatra, de um usuário de drogas. Ela nada mais é do que o vício por comida”, comenta.

5 – Cirurgia vai me deixar magro para sempre- MITO

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de intervenções cirúrgicas cresceu 300% nos últimos dez anos. Deste total, 5% são pacientes com menos de 20 anos.

“Ao recorrerem a cirurgias, muitos imaginam que estão dando o seu último adeus às gordurinhas. No entanto, esse é um grande mito, pois a verdadeira origem da obesidade não foi tratada, e é por isso que muitos voltam a engordar”, explica Gladia.

“Quase todos os meus pacientes usavam a comida como um remédio para um mal emocional, e por isso estavam acima do peso. É preciso mudar a maneira de pensar a comida e de se relacionar com ela. Caso contrário, após a intervenção cirúrgica, o descontrole alimentar pode voltar a se manifestar nos próximos 2 anos, comprometendo o resultado”.

Bjks,

Giane Carvalho
Fontes: Gladia Bernardi – Nutricionista, coach e desenvolvedora do método “Emagrecimento Consciente”, baseado na neurociência, na programação neurolinguística e em coaching.

Imagens: Shutterstock

Share Button

O que fazer para evitar o ressecamento dos lábios

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje vamos passar algumas dicas da dermatologista Dra Cláudia Marçal para que você tenha sempre os lábios bem cuidados.

“Essa é uma região extremamente delicada. Além de usarmos muito movimento da musculatura, a pele oral entra em contato com alimentos, bebidas, saliva, cosmético, principalmente batons que nem sempre têm pigmentos naturais e contêm conservantes estabilizantes es que são altamente alergênicos. Então é um local que devemos, sim, tratar com muito cuidado, com produtos específicos”, diz a Dra Cláudia.

10

Segundo a dermatologista, os lábios tendem a ser mais ou menos ressecados e isso depende muito do fototipo, da característica étnica: quanto mais clara for a pessoa, mais tendência a ter os lábios delicados e sensíveis ao sol e ao frio ela tem. Esses dois agressores são os principais responsáveis pelo envelhecimento da região dos lábios.

Queimaduras de sol — “O lábio fica mais ressecado, descamativo, com fissuras e rachaduras”, explica. A médica alerta que um dos cânceres mais comuns na região da face é na região dos lábios e o mais comum deles é o carcinoma espinocelular.

Queimaduras’ de frio — “Durante o inverno, há uma diminuição da produção natural das glândulas que lubrificam a região, então existe um maior ressecamento porque a pele fica realmente menos hidratada e lubrificada, com a área mais atrófica. Porém, a regeneração deve ser feita da mesma maneira”, afirma.

Como tratar e se proteger dos agressores — Por prevenção, o recomendado é fazer uma hidratação constante e frequente, com formulações ricas em vitaminas e antioxidantes. “Usar hidratantes à base de aveia coloidal, vitamina E, pró-vitamina B5, glicerina, de manteigas de karité, de óleos como o de girassol, óleo de macadâmia, a própria presença de zinco, cobre, manganês, magnésio que auxiliam no processo de cicatrização, devem estar presentes nas formulações”, afirma. Outra dica é evitar passar a língua na região dos lábios, o que provoca uma diminuição do pH, já que a saliva tem pH mais ácido e piora ainda mais o ressecamento. “Há aquela sensação imediata que houve um umedecimento da região, mas logo depois, acontece a formação de microfissuras, de ardência e vermelhidão local”, afirma.

Os filtros solares específicos para a região são importantes também para evitar que haja formação do herpes pela exposição ao sol. “Isso pode acontecer também por uma mudança brusca de temperatura no inverno, então o ressecamento, a descamação, a abertura de uma porta de entrada onde existe uma solução de continuidade e a perda da integridade da barreira cutânea, faz com que a área fique mais propensa a infecções bacterianas, virais e herpéticas”, enfatiza.

Nos períodos frios, o hidratante deve ser usado de duas a três vezes ao dia ou optar pela escolha de batons que sejam de marcas conhecidas com uma rotulagem hipoalergênica, testado dermatologicamente, e produtos de boa procedência. “Ou se eu quiser evitar qualquer tipo de risco e tiver um lábio mais sensível, deve ser utilizado hidratante antes do batom pela manhã, e repetir à tarde. As substâncias hidratantes, reparadoras de barreira, anti-inflamatórias devem ser aplicadas sempre, pois oferecem um certo poder oclusivo como os fosfolipídeos, que fazem com que haja uma formação de manto sobre a região, evitando a desidratação e a agressão dos fatores ambientais”, afirma.

Quando há ressecamento, a dermatologista ressalta que sempre aconselha aos pacientes a nunca remover as ‘pelinhas’, nem fazer esfoliação na região dos lábios com grânulos agressivos. “No máximo uma esfoliação com produtos naturais como a seda do arroz ou mesmo fazer uso de um creme de ureia que já é suficiente, misturada com a pró-vitamina B5 para que haja o processo natural de troca daquela pele mais espessa que será descamada e trocada por uma pele jovem, mais fininha e, portanto, mais sensível”, diz.

Por fim, outro composto que devemos ficar de olho é o cigarro: “Além de poder causar alergia de contato, ele diminui a irrigação local, provoca degradação do colágeno e dá origem às linhas em coluna de barra que surgem como rugas ao redor dos lábios”, finaliza.

Bjks,

Giane Carvalho

Fonte: Dra. Claudia Marçal – Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.

Share Button

Alimentos que se passam por saudáveis mas não são

Share Button

Olá Bauzete amigue, tudo bem?

A desinformação ainda é a maior inimiga quando o assunto é alimentação realmente saudável. Propagandas enganosas ou até tendenciosas acabam levando o consumidor a acreditar erroneamente sobre a qualidade nutricional de determinados produtos. O alerta é feito pelo médico Theo Webert, que atua em nutrologia e qualidade de vida.

07

“Não é raro encontrar as cozinhas e despensas de casas recheadas de guloseimas e lanches tidos como saudáveis, mas que na verdade podem ser verdadeiros vilões em dietas balanceadas”, explica o doutor. Segundo ele, muitas pessoas que mantém uma alimentação equilibrada rigorosa acabam sendo pegas de surpresa ao descobrirem a real composição de produtos vendidos como “fitness”.

O médico elenca alguns dos alimentos que podem enganar os consumidores:

Cereais – Os cereais matinais, por exemplo, podem liderar a lista de falsos alimentos saudáveis. E não são apenas os cereais açucarados. “Outros, como granolas, que são misturadas com uvas-passas, possuem um índice glicêmico muito alto e podem potencializar o nível de açúcar no sangue, o que não é bom para o equilíbrio corporal. A solução é sempre conferir a composição de cada marca”, explica o médico.

“Se for para ingerir cereais, escolha um rico em fibras e com nozes. A gordura e a fibra retardarão o impacto da insulina no sangue”, orienta.

Fruta seca – Segundo o especialista, frutas secas também carregam um alto impacto glicêmico. “Frutas secas, se não forem orgânicas, carregam uma grande concentração de pesticidas e de produtos químicos”. O médico explica que a tendência das pessoas é sempre procurar as frutas secas, mas que deveriam optar pelas frutas desidratadas. “O melhor a fazer é certificar-se de que os frutos secos são orgânicos. Além disso, deve-se misturar seu consumo com gordura boa para retardar a glicemia na corrente sanguínea”, diz.

Produtos sem glúten – Agora você vê mais espaços nos supermercados dedicados aos produtos sem glúten. “O problema é que ninguém tem prestando atenção nos ingredientes. A solução de muitas indústrias para colocar mais sabor nesses produtos é encher de açúcar, subprodutos da soja, produtos químicos e conservantes”, frisa.

Proteína em barras – Algumas barras de proteína acabam enganando, principalmente pelo sabor açucarado, químico. “Devemos investigar a composição de cada uma delas, pois várias possuem edulcorantes diferentes e soja na lista de ingredientes. Arrisco a dizer que muitas delas são brownies com embalagens disfarçadas. O melhor é sempre seguir a prescrição de seu profissional”.

Olho vivo, pessoal!

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Cinco erros comuns em esmalterias

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje vamos falar sobre cuidados com as unhas. Se você tem o hábito de fazê-las em esmalterias, fique de olho nessas dicas.

A fundadora da Beryllos, primeira rede de cuticularia do Brasil, Luzia Costa, lista 5 cuidados para se “inspecionar” na hora de ir ao salão e prevenir qualquer resultado indesejado.

1. Compartilhamento de esmaltes

É comum a precaução com o uso dos alicates e a maioria das pessoas leva o seu próprio material até o salão. Mas o que muitas mulheres não sabem é que compartilhar esmaltes também pode causar doenças. A química do  produto não é capaz de eliminar as bactérias e fungos que possam existir após ter sido utilizado em unhas com algum tipo de doença como, por exemplo, a micose. Se possível, leve seu próprio esmalte.

2. Reutilizar materiais

Para ter total segurança é necessário que materiais como lixas e espátulas de madeira sejam descartados a cada utilização. Muitas profissionais, por questão de economia ou falta de conhecimento, utilizam os mesmos para evitar desperdícios, o que é um erro.

Outros itens como alicates, espátulas de metal, precisam de um cuidado especial na hora da higienização, devem ser lavados com produtos específicos para eliminar bactérias e alguns ainda necessitam passar pela autoclave. Exija materiais que não foram utilizados e que serão descartados na sua frente.

3. Uso de alicate

O maior vilão dos salões de beleza é o alicate! Responsável por transmitir doenças como verrugas e até mesmo a Hepatite C. O ideal é pedir para a profissional usar os materiais que você levar, mesmo correndo o risco de ela não estar acostumada com os utensílios. Ou ainda procurar salões que usem outras práticas para fazer as unhas. Lembre-se também de trocar o seu alicate periodicamente. Mesmo que ele esteja sendo utilizado só por você, pode conter alguma bactéria.

4. Retirar a cutícula

Mesmo que o alicate seja visto como um aliado na hora de deixar as unhas bonitas, ele traz riscos quando combinado com a prática de retirar a cutícula. Esta prática acaba com a proteção natural e aumenta as chances de contrair doenças, com os cortes que o alicate pode fazer. Além disso, é um procedimento que pessoas com algum problema de saúde, diabetes, por exemplo, não podem realizar. Por isso, aconselho a mudar este hábito que pode machucar, deformar as unhas e até mesmo transmitir doenças.

5. Esterilização correta

As profissionais precisam ter como meta principal a higienização dos materiais utilizados. Devem limpar, desinfetar e esterilizar. Porém, muitas vezes na correria esses três passos não são realizados ou, não são feitos de maneira adequada e podem causar alguns transtornos. O melhor é ter seu próprio kit, mas faça a limpeza toda vez que for ao salão para evitar possíveis contaminações.

Ter as unhas saudáveis e bem feitas faz parte da projeção positiva da imagem. Cuide bem das suas e lembre-se dessas dicas quando for à manicure.

Bjks,

Giane Carvalho

Fonte: Beryllos – Fundada em 2016 pela empreendedora Luzia Costa. Surgiu para mudar o conceito do mercado de “fazer a unha”, com o método de “cuticularia” que consiste em desbastar as cutículas com uma ponta diamantada, mantendo a real proteção das unhas, sem o risco de cortes e machucados. O novo processo visa tanto o embelezamento, quanto a saúde das unhas das mãos e pés. A rede conta com materiais descartáveis e esmaltes individuais (de 4ml), para prevenir problemas de saúde.

Share Button

Antes feito que perfeito!

Share Button

Olá bauzete e bauzeiro! Provavelmente você já ouviu essa frase:

Talvez você já tenha se perguntado que tipo de máxima é essa que estimula as pessoas a levar as coisas “nas coxas”. Pois bem meu caro, esse artigo é um convite a ressignificar o ditado.

Esse discurso não é sobre se negar a excelência, pelo contrário, é sobre o único método para atingi-la: A prática.

Só alcança a perfeição quem faz algo acontecer e é sobre isso que estamos falando aqui.

O perfeito começa hoje, fazendo o que se pode, com o que se tem e onde se está. Não existe outro lugar fértil a perfeição se não o aqui e o agora, então jogue as sementes.

Pesquisem sobre essa mulher. É INCRÍVEL!

Se você está em busca do perfeito por outro caminho que não seja a prática, provavelmente já se pegou procrastinando, cansado sem ter feito nada, angustiado ou estressado sem causa aparente. Meu caro, a oportunidade é um cavalo que passa selado, se você não monta, outro monta, porque ele não estava esperando a melhor hora do dia, a experiência em cavalgada ou um animal mais classudo, e creia, é realmente péssima a sensação de ver seu cavalo indo embora com outro cavaleiro. Então comece abraçando o que lhe é proposto, como lhe é proposto.

Esperar pelas condições perfeitas para realizar alguma coisa é dar um baita tiro no pé. Antes feito que perfeito fala sobre o poder do agora, de realmente estar realizando algo ao invés de apenas idealizar.

Aristóteles deixou a mais perfeita definição sobre excelência, quando disse que ela não é um feito, mas sim um hábito. Ou seja, adquirimos quando repetidamente fazemos.

Se você anda perdendo os cavalos, então vamos combinar o seguinte, na próxima entrevista de emprego, ou no seu próximo primeiro encontro, você não vai encher a boca de falsa modéstia pra dizer que seu maior “defeito” é o perfeccionismo. Os perfeccionistas de verdade estão se mexendo.

Experimente talvez, trocar perfeccionista por obstinado fica mais bonito.

Para encerrar eu vou usar uma frase que sempre falo para meus Coachees: Quem dorme sonha, quem acorda realiza!

Eu poderia sugerir que você começasse algo hoje. Mas vou fazer diferente: Hoje, termine algo.

Beijos! Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida.

 

 

Share Button

Armário Cápsula – Etapa 1 na prática!

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros! Muitos se animaram a fazer o Armário Cápsula depois desse post aqui ó… Então eu voltei para compartilhar como está sendo minha transição de um armário normal bastante econômico para um que é minimalista de verdade.

Recapitulando: O seu armário tem que ter a sua cara, atender as suas necessidades e fazer sentido pra você. O número de peças é uma escolha sua, os itens que entram ou não, são uma escolha sua, sazonal ou definitivo também é uma escolha sua.

Para as pessoas que são consumistas, acumuladoras ou tem armários lotados e nem sabem por que, fazer o armário cápsula será mais desafiador. Pra mim está sendo um pouco natural, mas essa naturalidade não é obrigatória.

Eu dividi esse desafio em etapas e a primeira delas é subdividida em:

  1. Analise: Defina seu número de peças ideal pensando no seu dia a dia e necessidades.

Escolha seu estilo por paleta de cores ou conceito. Uma consultoria de imagem pode ajudar, se ainda não tiver recurso para isso, garimpe, tem muita informação gratuita e bacana por aí. Nós do Baú não somos consultoras, orientamos sobre projeção, afinal todo profissional de propaganda e rádio/tv é produtor por tabela, são profissionais como nós que (além de redigir, criar e/ou dirigir) vestem as pessoas nos comerciais e programas, com o intuito de passar uma imagem ou vender uma ideia, assim como na vida todos estamos “vendendo” nossas ideias. Por isso entendemos o suficiente sobre moda, estilo, projeção e mkt pessoal pra tocar o nosso Bauzinho com certa propriedade.

  1. Desapegue: De tudo que não te representa ou não te projeta como gostaria.

Também de tudo que está em mau estado de conservação, prejudica suas formas ou não te serve mais.

É o tipo apegada ou apegado? Sugiro um exercício: Coloque essas peças numa caixa fora do G.R, é a última chance delas, defina um tempo, usou bem, não usou? Amém.

Separe as peças com potencial de venda e envie para um brechó, é uma maneira bacana e sustentável de capitalizar para as próximas compras.

Troque ou doe aquilo que sentir vontade.

  1. Organize: Já enxuto é hora de organizar seu armário, com mais espaço vai ficar fácil ter peças sempre lisinhas e cheirosas, ao alcance dos olhos e prontas para usar. Além de conservadas por mais tempo.

Seguir alguns perfis de profissionais em organização pode te ajudar sugiro a Helen Organizer.

Mantenha limpo e arrumado, acredite é uma prática super construtiva que você vai levar do closet para a vida.

  1. Otimize: Ficou alguma coisa que precisa de reforma? Aquele vestido tem uma estampa linda, mas está curto d+? Vira camiseta, a saia vira top, aperta daqui, estica de lá e voilá, peças novas! Ouse fazer diferente!

Experimente novas combinações e vá anotando tudo para consultar na hora da pressa ou da dúvida.

  1. Expanda: Que tal experimentar esse conceito na caixinha maquiagem e esmaltes, será que você também precisa de tantos cremes e shampoos? Usar um único perfume ajuda a definir uma identidade própria, já pensou nisso? Ouse ir além!

Faça isso o quanto antes, não se preocupe com a perfeição, o armário é seu e vai estar ali pra você mexer e remexer quantas vezes quiser. O importante é começar!

É mais do que um estilo de vida é um exercício de assertividade, por exemplo, desapegar de uma jaqueta velha pode te ajudar a se desprender das coisas que, assim como ela, ficam jogadas lá no fundo do seu íntimo, as vezes lembradas, as vezes esquecidas, mas sempre ocupando o espaço daquilo que é novo.

Pense a respeito e se fizer sentido pra você, encontre a sua maneira de encapsular o que é material e expandir o que é livre, belo, nobre e gratuito: O poder pessoal, que nunca sai de moda e fica lindo em você.

Beijos e abraços apertados!

Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida

 

Share Button

Cuidado com as microesferas plásticas nos esfoliantes

Share Button

Olá Bauzete amigue, tudo bem?

Se você gosta de cuidar da pele e do cabelo, já deve ter comprado em algum momento da vida, um esfoliante para retirar as células mortas e fazer uma limpeza melhor.

Fonte: CBS News

Aqui mesmo no Baú já postei resenha de vários porque eu adoro.

Até que um dia divulguei no insta do Blog um micro-esfoliante que eu estava usando no rosto e uma amiga comentou que esse tipo de produto era prejudicial à natureza. Levei um susto porque nunca tinha lido nada sobre e fui pesquisar.

Acontece o seguinte: A “areiazinha” ou as “bolinhas” da maioria dos esfoliantes industrializados contém um tal de Polietileno (Polyethylene ou Polypropylene) que na verdade é um microplástico. Quando usamos os produtos, esse microplástico cai na rede de esgoto, não consegue ser filtrado nas estações de tratamento, vai para as águas dos mares e rios e é consumido pelas espécies que ali habitam. Os peixes podem morrer por causa disso ou se capturados para serem servidos, levam esse plástico para a mesa e quem come é você.

As esferas de Polietileno estão presentes também em algumas pastas de dentes.

Fonte: http://www.healthyandnaturalworld.com

Podemos fazer a nossa parte evitando produtos que contenham Polyethylene ou Polypropylene. É só ler a composição no rótulo da embalagem.

Fonte: https://www.flickr.com/photos/mpcaphotos/15807946004

Para substitui-los, dê preferência aos produtos que tenham ingredientes orgânicos na composição como sementes de Apricot, argila e farelo de arroz.

Em casa, dá p/ fazer com açúcar, arroz triturado, café e fubá, misturados com mel e óleo de coco ou oliva. Mas tome cuidado com receitas caseiras porque elas não são 100% seguras. O açúcar, por exemplo, é formado por grânulos irregulares que podem ferir ou irritar a pele em vez de beneficiá-la. Use de vez em quando e sempre observe com atenção o resultado.

Vale lembrar também que esfoliar demais faz mal, pode causar um efeito rebote. A pele sente que está faltando algo e repõe em dobro.

Vamos nos cuidar com amor e estender esse cuidado à natureza. ♥

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Cuidados diários com os cílios

Share Button

Olá amigue bauzete, tudo bem?

Um dos nossos posts mais acessados é o sobre a micropigmentação de sobrancelhas. Muitas pessoas estão interessadas em tornar a área dos olhos mais expressiva, eu inclusive rsrs

Mas vamos pensar o seguinte: Só um bom design de sobrancelhas resolve? E se os cílios estiverem com problemas, coitados? Tem que ser o conjunto, não é mesmo?

Assim como os cabelos, a sobrancelha e qualquer área do corpo, os cílios requerem cuidados.

Quando os cílios começam a ter caspa ou a cair demais, devemos nos preocupar. “A forma com que cuidamos dos nossos cílios influencia na sua qualidade, tamanho e espessura”, afirma a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

Cílios com caspa —  “Pessoas com pele oleosa e olhos muito secos, por causa da baixa umidade do ar na época do frio, apresentam coceira, vermelhidão e formação de pequenas crostinhas ou descamação, uma alteração comum que piora com água quente e exposição ao vento”, explica a dermatologista. E completa: “Além disso, existe o uso excessivo de cosméticos como cremes com substâncias irritativas ou conservantes e maquiagens que por vezes são o meio de contaminação e propagação bacteriana ou fúngica”.

Para evitar esse quadro, o hábito diário de higiene das pálpebras é um dos principais cuidados que devem ser tomados. “Usar loções de limpeza dermatologicamente e oftalmologicamente testados ou sabonetes líquidos infantis e aplicar cremes de hidratação em base aquosa diariamente”, ensina. E caso já venha apresentando esse quadro, a médica orienta a procura pelo dermatologista.

Esse quadro pode também ser caracterizado por uma patologia chamada Blefarite (inflamação das glândulas na borda anterior das pálpebras), que provoca descamação na pele junto à região de união ciliar, podendo ser de origem seborreica, bacteriana ou alérgica. “Deve ser tratada no início para que não haja evolução do quadro, podendo atingir a porção interna da pálpebra e acometer o globo ocular e a córnea”, afirma.

Cílios caindo demais — Outro problema pode ser a queda de cílios. Mas não se desespere: isso faz parte do processo de renovação das hastes dos fios ciliares e ocorre naturalmente a cada quatro meses, segundo a dermatologista.  “Porém, quando há um quadro de queda importante (falhas ou a falta de cílios), o qual chamamos de madarose ou alopecia ciliar, há uma indicação de possíveis problemas orgânicos como: blefarites, alergia a maquiagens, carência nutricional e outras doenças como as autoimunes.”

Mas segundo a dermatologista, a maior causa de queda ciliar ocorre pelo abuso de maquiagem como rímel a prova d’água, uso excessivo de delineador ou marcas com pigmentos sintéticos e conservantes que provocam sensibilidade e alergia local. “Além disso, as maquiagens têm validade de uso, sendo que as máscaras, após abertas, não duram mais do que seis meses e devem ser removidas diariamente sem que fiquem em contato com a região durante a noite toda”, completa.

Dra. Claudia afirma ainda que os cílios podem cair por motivos nutricionais, por carência ou excesso de substâncias. “Deficiência do complexo B, Vitamina E, Zinco, Selênio, falta de Vitamina D, Ferro, Ácido Fólico e proteínas, além da Biotina e da Piridoxina. Já o excesso de vitamina A também pode causar queda assim como a falta de cílios.”

Máscara ciliar: remoção — A Dra. Cláudia Marçal também explica que as máscaras ciliares devem ser passadas e retiradas corretamente. “Ao aplicar e/ou remover não deve haver tração exagerada ou o hábito de esfregar com movimentos de vai e vem. A retirada deve ser feita por loções sem álcool ou água demaquilante micelar e algodão macio em movimentos circulares e repetido por duas a três vezes delicadamente, quando a maquiagem ciliar (Rímel e Delineador) não é a prova d’Água”.

Hidratação tópica e nutricional — Outra preocupação é com relação à hidratação. “Para a saúde dos cílios, é essencial hidratá-los e nutrí-los, não permitindo assim que as hastes mais finas e secas sofram fraturas ou fiquem mais finas com tendência à queda ou rarefação. Portanto, quando utilizar o creme da área dos olhos, sempre específico para a região, aplique o produto indicado rente aos cílios ou ainda utilize com cotonete duas a três vezes por semana um óleo como o de ricino derivado da mamona ou um creme a base de pró-vitamina B5”, orienta.

Curvex — O uso do Curvex requer delicadeza e calma para manuseá-lo. “A manutenção deve ser observada, como sua higiene e a famosa ‘borrachinha’, que deve ser trocada semestralmente — e de preferencia ser de silicone.

É essencial que os fios estejam secos e limpos e o Curvex deve ser aplicado antes da máscara ciliar para que não haja quebra dos fios. “A maioria das máscaras, quando aplicada em várias camadas, deixa os fios ciliares mais duros e pouco flexíveis, o que pode provocar um trauma físico irreparável que leva a quebra no local da pressão.” Segundo a dermatologista, o curvex térmico também demanda esses cuidados, de forma redobrada, para que o tempo de exposição não seja demasiado e não se queime a pele da pálpebra. “A sua indicação é recomendada para quem possui cílios curtos ou cílios longos muito retificados.”

Produtos para crescer cílios e produtos para tingí-los — A dermatologista afirma que os produtos são seguros desde que sejam aprovados pela ANVISA. “Podem ser fórmulas manipuladas por um dermatologista ou comprado na farmácia. Esses produtos prolongam a fase de crescimento dos fios já existentes deixando-os também mais espessos e pigmentados.” Mesmo com os cuidados de aplicação, deve ser contraindicado para pacientes com olhos claros por ter uma tendência natural ao escurecimento da íris. “Aconselhamos que seja prescrito sempre pelo médico e realizado acompanhamento, pois há sempre a possibilidade de reação alérgica.” Normalmente nota-se a diferença após dois meses de uso diário, sem interrupção.

Sobre tingir os cílios, a médica pondera que é seguro desde que se utilize produtos de marcas conhecidas e de qualidade e específicas para cílios. “O procedimento deve ser realizado por um designer de sobrancelhas ou visagista ou fisioterapeuta dermatofuncional que tenha experiência na aplicação do ativo. Jamais faça esse procedimento em casa em sistema de autoaplicação, pois pode causar alergia.” Após a aplicação, é necessário o uso de pomadas dermatologicamente e oftalmologicamente testadas, ricas em vitaminas B5 e E, glicerina e óleos naturais como o de oliva, amêndoas ou coco, para que não haja ressecamento.

Bjks,

Giane Carvalho

Fonte: Dra. Claudia Marçal
Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.

Share Button