Arquivo da Categoria: Coaching

5 mitos e verdades sobre o emagrecimento

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

O post de hoje é p/ quem está fazendo de tudo p/ emagrecer. Se é o seu caso, calma aí!

Primeiro, emagreça se isso for te empoderar, te trazer uma espetacular satisfação pessoal, melhorar sua autoestima e te dar disposição para conquistar seus objetivos. Não queira mudar seu tipo físico para agradar outras pessoas, ok? Só a si mesmo/a 😉

Cuidado com as medidas radicais, como as “dietas da moda” que excluem totalmente alguns tipos de alimentos ou submeter-se a procedimentos cirúrgicos invasivos.

“A velocidade com que as novas dietas surgem e desaparecem está diretamente relacionada ao fracasso das mesmas”, alerta a nutricionista Gladia Bernardi, criadora do método Emagrecimento Consciente. “Se elas dessem mesmo certo, o resultado obtido seria duradouro e não seria preciso, a toda hora, criar uma nova modalidade”, comenta ela.

No entanto, o que pouca gente sabe é que é possível, sim, emagrecer de forma saudável e sem tanto sacrifício. “A obesidade é uma doença mental, e o que precisa ser tratado é a chamada ‘mente gorda’. É fundamental trabalhar a repetição de novos e bons hábitos, que levem à perda de peso sem o uso de remédios, dietas restritivas ou intervenções cirúrgicas. O grande segredo é transformar a maneira como o indivíduo se relaciona com a comida”, recomenda a nutricionista e coach.

A especialista aponta alguns mitos e verdades do processo de emagrecimento:

1 – Dieta sem glúten e sem lactose funciona para todos – MITO

Assim como muitas outras dietas que viraram “moda”, a técnica de eliminar completamente o glúten do cardápio ganhou adeptos entre celebridades e acabou se tornando popular no Brasil e no mundo. No entanto, ao contrário do que muita gente pensa, nem todas as pessoas se beneficiam dessa estratégia para perder peso.

“Com exceção do 1% da população mundial que sofre de doença celíaca, ou seja, que tem sensibilidade ao glúten, as pessoas acabam emagrecendo com essa dieta por evitarem alimentos calóricos como pão, macarrão ou bolo, que contêm glúten. Ou seja, a questão não é o glúten em si, e sim as escolhas alimentares mais inteligentes”, pondera.

No entanto, Gladia alerta que de nada adianta evitar alimentos com glúten e exagerar no chocolate, por exemplo. “O profissional precisa descobrir qual é o gatilho mental que está sendo acessado pelo seu cliente e como ele é representado no seu corpo com excesso de peso.”

Portanto, segundo a especialista, mais importante do que focar apenas nos itens que compõem o cardápio é descobrir o que faz com que aquele indivíduo coma compulsivamente e “desativar” essa armadilha da mente.

2 – Suplementos podem substituir refeições para emagrecer- MITO

Para Gladia, esse é mais um mito fundamentado somente no imediatismo. “A pessoa até pode recorrer aos suplementos para emagrecer como ‘emergência’ para o verão, mas se esquece de que há vida no outono, no inverno, na primavera. Quem aguenta tomar suplementos durante o ano todo?”, questiona.

Além do mais, lembra a especialista, muitos desses produtos não são regulamentados ou acabam proibidos de serem vendidos no Brasil. Isso acontece por não haver pesquisa que comprove se eles são ou não prejudiciais à saúde. “Além de não emagrecer, a pessoa pode colocar sua própria saúde em risco, principalmente se consumir por conta própria. Por isso, sempre alerto para procurar um profissional de saúde para buscar orientações antes de utilizar qualquer tipo de suplemento”.

3 – Ter o apoio de um bom profissional faz emagrecer – VERDADE

Apenas a prescrição perfeita, de acordo com Gladia, não garante o bom resultado. “Um bom profissional trata a raiz do problema e faz com que o cliente emagreça de forma consciente”, pontua a especialista.

Ela explica que fatores como a autossabotagem e a criação de uma zona de conforto precisam ser combatidos. “O profissional deve dizer ao paciente: ‘Se você quer mudar de vida para sempre, quero fazer uma pergunta: me dê um bom motivo para que eu continue ajudando você’. Assim, o paciente percebe o empenho e passa a buscar o resultado”.

“Todos os pacientes provavelmente já passaram por outros profissionais e métodos, tentativas frustradas de dietas e processos de emagrecimentos inacabados e ou interrompidos. O bom profissional deve saber lidar com essa frustração e apontar o caminho correto”, ensina.

4 – Modificar a mentalidade emagrece – VERDADE

Na opinião de Gladia, a mudança de pensamento é a grande chave para o emagrecimento e garante que os resultados sejam duradouros. “O controle da ansiedade, por exemplo, além de ajudar a emagrecer melhora o sono e a saúde em geral, facilitando o controle de doenças, e, acima de tudo, gerando um sentimento de vitória com os novos hábitos.”

Segundo a especialista, a única forma de tratar problemas como a compulsão alimentar é através da mudança de mentalidade. “A compulsão por comer deve ser vista como um vício, assim como o de um alcoólatra, de um usuário de drogas. Ela nada mais é do que o vício por comida”, comenta.

5 – Cirurgia vai me deixar magro para sempre- MITO

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), o número de intervenções cirúrgicas cresceu 300% nos últimos dez anos. Deste total, 5% são pacientes com menos de 20 anos.

“Ao recorrerem a cirurgias, muitos imaginam que estão dando o seu último adeus às gordurinhas. No entanto, esse é um grande mito, pois a verdadeira origem da obesidade não foi tratada, e é por isso que muitos voltam a engordar”, explica Gladia.

“Quase todos os meus pacientes usavam a comida como um remédio para um mal emocional, e por isso estavam acima do peso. É preciso mudar a maneira de pensar a comida e de se relacionar com ela. Caso contrário, após a intervenção cirúrgica, o descontrole alimentar pode voltar a se manifestar nos próximos 2 anos, comprometendo o resultado”.

Bjks,

Giane Carvalho
Fontes: Gladia Bernardi – Nutricionista, coach e desenvolvedora do método “Emagrecimento Consciente”, baseado na neurociência, na programação neurolinguística e em coaching.

Imagens: Shutterstock

Share Button

Antes feito que perfeito!

Share Button

Olá bauzete e bauzeiro! Provavelmente você já ouviu essa frase:

Talvez você já tenha se perguntado que tipo de máxima é essa que estimula as pessoas a levar as coisas “nas coxas”. Pois bem meu caro, esse artigo é um convite a ressignificar o ditado.

Esse discurso não é sobre se negar a excelência, pelo contrário, é sobre o único método para atingi-la: A prática.

Só alcança a perfeição quem faz algo acontecer e é sobre isso que estamos falando aqui.

O perfeito começa hoje, fazendo o que se pode, com o que se tem e onde se está. Não existe outro lugar fértil a perfeição se não o aqui e o agora, então jogue as sementes.

Pesquisem sobre essa mulher. É INCRÍVEL!

Se você está em busca do perfeito por outro caminho que não seja a prática, provavelmente já se pegou procrastinando, cansado sem ter feito nada, angustiado ou estressado sem causa aparente. Meu caro, a oportunidade é um cavalo que passa selado, se você não monta, outro monta, porque ele não estava esperando a melhor hora do dia, a experiência em cavalgada ou um animal mais classudo, e creia, é realmente péssima a sensação de ver seu cavalo indo embora com outro cavaleiro. Então comece abraçando o que lhe é proposto, como lhe é proposto.

Esperar pelas condições perfeitas para realizar alguma coisa é dar um baita tiro no pé. Antes feito que perfeito fala sobre o poder do agora, de realmente estar realizando algo ao invés de apenas idealizar.

Aristóteles deixou a mais perfeita definição sobre excelência, quando disse que ela não é um feito, mas sim um hábito. Ou seja, adquirimos quando repetidamente fazemos.

Se você anda perdendo os cavalos, então vamos combinar o seguinte, na próxima entrevista de emprego, ou no seu próximo primeiro encontro, você não vai encher a boca de falsa modéstia pra dizer que seu maior “defeito” é o perfeccionismo. Os perfeccionistas de verdade estão se mexendo.

Experimente talvez, trocar perfeccionista por obstinado fica mais bonito.

Para encerrar eu vou usar uma frase que sempre falo para meus Coachees: Quem dorme sonha, quem acorda realiza!

Eu poderia sugerir que você começasse algo hoje. Mas vou fazer diferente: Hoje, termine algo.

Beijos! Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida.

 

 

Share Button

Armário Cápsula – Etapa 1 na prática!

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros! Muitos se animaram a fazer o Armário Cápsula depois desse post aqui ó… Então eu voltei para compartilhar como está sendo minha transição de um armário normal bastante econômico para um que é minimalista de verdade.

Recapitulando: O seu armário tem que ter a sua cara, atender as suas necessidades e fazer sentido pra você. O número de peças é uma escolha sua, os itens que entram ou não, são uma escolha sua, sazonal ou definitivo também é uma escolha sua.

Para as pessoas que são consumistas, acumuladoras ou tem armários lotados e nem sabem por que, fazer o armário cápsula será mais desafiador. Pra mim está sendo um pouco natural, mas essa naturalidade não é obrigatória.

Eu dividi esse desafio em etapas e a primeira delas é subdividida em:

  1. Analise: Defina seu número de peças ideal pensando no seu dia a dia e necessidades.

Escolha seu estilo por paleta de cores ou conceito. Uma consultoria de imagem pode ajudar, se ainda não tiver recurso para isso, garimpe, tem muita informação gratuita e bacana por aí. Nós do Baú não somos consultoras, orientamos sobre projeção, afinal todo profissional de propaganda e rádio/tv é produtor por tabela, são profissionais como nós que (além de redigir, criar e/ou dirigir) vestem as pessoas nos comerciais e programas, com o intuito de passar uma imagem ou vender uma ideia, assim como na vida todos estamos “vendendo” nossas ideias. Por isso entendemos o suficiente sobre moda, estilo, projeção e mkt pessoal pra tocar o nosso Bauzinho com certa propriedade.

  1. Desapegue: De tudo que não te representa ou não te projeta como gostaria.

Também de tudo que está em mau estado de conservação, prejudica suas formas ou não te serve mais.

É o tipo apegada ou apegado? Sugiro um exercício: Coloque essas peças numa caixa fora do G.R, é a última chance delas, defina um tempo, usou bem, não usou? Amém.

Separe as peças com potencial de venda e envie para um brechó, é uma maneira bacana e sustentável de capitalizar para as próximas compras.

Troque ou doe aquilo que sentir vontade.

  1. Organize: Já enxuto é hora de organizar seu armário, com mais espaço vai ficar fácil ter peças sempre lisinhas e cheirosas, ao alcance dos olhos e prontas para usar. Além de conservadas por mais tempo.

Seguir alguns perfis de profissionais em organização pode te ajudar sugiro a Helen Organizer.

Mantenha limpo e arrumado, acredite é uma prática super construtiva que você vai levar do closet para a vida.

  1. Otimize: Ficou alguma coisa que precisa de reforma? Aquele vestido tem uma estampa linda, mas está curto d+? Vira camiseta, a saia vira top, aperta daqui, estica de lá e voilá, peças novas! Ouse fazer diferente!

Experimente novas combinações e vá anotando tudo para consultar na hora da pressa ou da dúvida.

  1. Expanda: Que tal experimentar esse conceito na caixinha maquiagem e esmaltes, será que você também precisa de tantos cremes e shampoos? Usar um único perfume ajuda a definir uma identidade própria, já pensou nisso? Ouse ir além!

Faça isso o quanto antes, não se preocupe com a perfeição, o armário é seu e vai estar ali pra você mexer e remexer quantas vezes quiser. O importante é começar!

É mais do que um estilo de vida é um exercício de assertividade, por exemplo, desapegar de uma jaqueta velha pode te ajudar a se desprender das coisas que, assim como ela, ficam jogadas lá no fundo do seu íntimo, as vezes lembradas, as vezes esquecidas, mas sempre ocupando o espaço daquilo que é novo.

Pense a respeito e se fizer sentido pra você, encontre a sua maneira de encapsular o que é material e expandir o que é livre, belo, nobre e gratuito: O poder pessoal, que nunca sai de moda e fica lindo em você.

Beijos e abraços apertados!

Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida

 

Share Button

Armário Cápsula – O que é e como montar o seu.

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros. Vamos conversar sobre estilo de vida? O papo hoje é sobre slow fashion, consumo consciente, Armário Cápsula.

Armário-cápsula é um termo criado pela britânica Susie Faux nos anos 70, consiste em ter uma pequena coleção de itens essenciais e atemporais.

Atualmente o termo também se refere a um grupo de peças que quando combinadas entre si, maximizam o número de looks. O objetivo de ambos os conceitos é ter looks ideais para todas as ocasiões mas sem gerar acumulo de peças.

O desafio raiz é viver com apenas 37 peças de roupas que são atualizadas a cada três meses – sem comprar nada nesse período.

Montagem:

Existem diversas formas de organizar um armário-cápsula, o que eu defendo é colocar sua personalidade e necessidades nele, a sugestão é uma coleção a cada estação. A ideia é não comprar nada, nada, nada durante esse período, exceto necessidades extremas. E as peças de cada estação serão guardadas para a volta da temporada.

A quantidade de roupas é uma escolha pessoal 15, 30, 45… E nesse número, incluem-se também os acessórios como bolsas, lenços e sapatos.

Eu decidi viver essa experiência e comecei a movimentar a transição.Por que? Porque eu sempre mantive um número mínimo de roupas, mas descobri que posso viver e me sentir melhor com bem menos. Isso tem muita coerência com meu estilo de vida e minhas escolhas atuais.

Como eu vou fazer: Montar meu armário com no máximo 45 peças de base, não farei a troca entre estações, exceto das peças extremamente sazonais como lãs e biquínis.

Como começar:

  1. Autoconhecimento: Defina seu estilo. Sugiro as perguntas: Como gosto de me sentir? / Como quero parecer?
  2. Qual meu esquema de cores: Você não precisa usar somente cores básicas se não gosta delas, armário cápsula não é privilegio dos básicos, mas busque dar preferência para cores neutras para as peças base. Olhe com carinho para atemporais, evite as “cores do ano”.
  3. Escolha seus padrões: Assim como as cores dê preferência aos atemporais.
  4. Opte por qualidade: A ideia é ter poucas roupas certo? Então elas precisam durar para ser usadas várias vezes. Qualidade e preço nem sempre estão atrelados, mas se em alguns casos estiver, pense nisso como investimento. Mais uma vez sugiro que as peças bases recebam maior recurso.

Na prática:
1. Faça uma boa faxina, desapegue, doe, venda ou troque as peças que não te representam mais. Mandar pra um Brechó é bacana, você capitaliza para as próximas compras.

2. Crie uma pasta de armário cápsula ideal no seu celular, isso ajuda na hora das compras. é tipo aquela lista que levamos ao super pra não comprar aleatoriamente.

3. Busque na internet aqueles quotes de itens básicos para um guarda roupa estiloso, pode te ajudar a não esquecer de nada.

Quais são os benefícios de limitar o guarda roupa:

  • Otimização de recursos:  Nada de desperdícios de peças, peças esquecidas quase sempre são compradas em duplicata.
  • Otimizar o espaço no seu guarda-roupa:  O que faz você enxergar tudo que tem e não comprar peças em duplicata rsrsrs… Sim tá tudo muito ligado!
  • Otimiza tempo: Pois facilita a escolha das roupas, são poucas opções, você realmente ama tudo que escolheu e tá tudo ao alcance dos olhos.
  • Reforço na identidade e auto estima: Afinal de contas vai vestir apenas o que você é, o que te projeta bem e o que realmente faz sentido pra você. A auto estima vem por tabela, coerentes com nossa identidade concentramos nossa intenção e modificamos nossas realidades (já falamos disso aqui)
  • Mais poder pessoal: Menos compras impulsivas exigem mais assertividade, a pratica de ser assertivo se torna um hábito, essa habilidade é somado a sua personalidade, aquela que fica contigo a vida inteira, não sai de moda e não é descartada quando rasga.
  • Otimização do dinheiro: Você não comprará roupas novas por pelo menos três meses ou mais como no meu caso. Nesse período terá tempo para organizar suas finanças.
  • Dar mais valor a você se tornar mais criativa: Pois será a principal peça base e  terá que desenvolver muitas combinações com pouco, esse despertar da criatividade exercita em nós a habilidade de gerenciar recursos e solucionar crises.
  • Vai cuidar da saúde: As roupas precisam servir por mais tempo.

Economicamente, ecologicamente e socialmente saudável, essa é a minha escolha pro momento, vou adorar saber o que vocês estão aprontando por ai. Vamos cocriar!

Talvez esses outros artigos te interessem: Consumo compulsivo e Minimalismo.

Beijos e Iluminem-se!

Bel Ramalho – Comunicóloga / Coach Executivo e d Vida.

Share Button

Crença limitante x Crença poderosa – Reprograme sua mente!

Share Button

Bauzetes e Bauzeiros bem vindos mais uma vez! Hoje vamos conversar sobre Crenças, então caneta e papel na mão, anotação é alta performance!

Do ponto de vista do Coaching, CRENÇAS  são verdades individuais.  Tudo aquilo no que acreditamos e que faz muito sentido para nós, mesmo quando somos sabotados por elas.

Como se forma o nosso sistema de crenças?

Através de toda experiência que temos ou aquilo o que nos é ensinado desde o inicio de nossa vida, sobretudo quando começamos a desenvolver nosso processo de identidade ( o que se dá dos 0 aos 7 anos, na fase da maturação física e percepção do eu, segundo a Teoria dos Setênios.)

Basicamente nessa sequência:

1. Algo acontece.

2. Interpretamos a experiência e tomamos uma decisão sobre o que precisamos fazer para nos preservarmos ou sentirmos bem dentro de nossas idiossincrasias.

3. Passamos a ter certeza sobre aquela decisão.

4. Procuramos e acabamos por encontrar mais indícios de que aquela é a decisão mais “certa” para nós, ignoramos e negamos indícios contrários.

5. A crença começa a comandar nossas intenções e ações, o que acaba criando nossa realidade de acordo com a crença.

Essas crenças direcionam todo o nosso viver, sendo capazes de gerar doenças físicas e emocionais, nos fazer felizes ou infelizes. Vejam por ai a importância de desenvolver crenças poderosas, que nos tragam energia vital, saúde e comportamentos assertivos.

Exemplos de crença limitante: “Eu não sou capaz.” ” Nenhum homem presta.” ou ainda “Toda mulher é interesseira.”  Crenças como essas, desenvolvidas pela criação ou por experiências de vida mal sucedidas, limitam muitos homens e mulheres a desenvolverem relacionamentos afetivos doentios e destrutivos.

Como podemos atuar contra crenças desse tipo? Desenvolvendo crenças poderosas. Como? Inicialmente criando vozes internas de anulação. Por exemplo, quando ocorrer esse padrão de pensamento negativo, encontre uma voz que anule ou a substitua de maneira satisfatória e positiva, por exemplo: “Isso aconteceu pra mim, mas isso não sou eu.” ” Agora eu tenho ótimos relacionamentos.” Contudo se a crença negativa é forte ou enraizada frases desse tipo podem não ser boas o suficiente, então podemos nos colocar a disposição para vencer a crença, usando por exemplo: “Estou disposto a ter relacionamentos maravilhosos” , quando se diz estar disposto a resistência baixa, declarações desse tipo atuam consciente e inconscientemente, sendo mais fácil transcender crenças definitivamente, cognitiva e não cognitivamente.

Toda crença além de guiar comportamento e criar realidade, também tem vibração particular, então quando se compreende os sentimentos e a origem deles em seu sistema de crenças você consegue ver de maneira clara e consciente o que está liberando em termos vibratórios. Sua vibração está de acordo com o que deseja manifestar e consequentemente atrair?

Não é mística, isso é física quântica e PNL.

Você é um concentrador de energia, cria crenças que detêm vibração. As vibrações que você concentra em si, atrairão energias semelhantes, logo se você tiver uma crença de baixa autoestima emitirá essa energia e atrairá pessoas pessoas e situações que reforçarão em você esse sentimento, gerando novas experiências negativas, que reforçam ainda mais a crença num círculo de prejuízo, que sem lucidez e desejo de mudança será infinito.

Falando em mudança, se nota que algumas pessoas não mudam, é  a crença negando o desejo de mudança, o que chamamos de zona de conforto. Nesse caso é necessário gerar uma estratégia (VALE A PENA ANOTAR):  Identificar o cenário atual, o desejado, reconhecer as forças favoráveis e limitantes, então gerar os recursos  necessários para a mudança, diminuindo as limitações e fortalecendo as favoráveis. Muitas vezes é desafiador gerar esses recursos devido a interferência de pensamentos e comportamentos do próprio indivíduo.

Geralmente essas interferências são de três tipos: 1- A pessoa não desejar a mudança. 2 – Não saber por onde começar ou o que fazer ou/e 3 – Não se dar a chance de mudar.

Essas interferências têm um ganho secundário, cada crença negativa está camuflada de um beneficio talvez significativo para o sujeito (como uma criança que finge estar doente para ganhar atenção) identifique o ganho e tente proporcionar-se o mesmo benefício, sem a necessidade da sabotagem.

Exercícios práticos:

  1. Para mudar uma crença é preciso querer mudar, saber como e se dar a chance, mas antes é preciso acreditar. Como? Desenvolvendo crenças de poder pessoal, no início oralizando, você já ouviu dizer que “No início era o verbo”, justamente e continua sendo, tudo começa na palavra, tudo que falamos e pensamos não se desfaz, fica eternamente vibrando (já falamos sobre vibração). Então vibre no positivo, sugiro sempre usar: EU TENHO UMA CRENÇA… (ai então insira a crença nova e poderosa que sobreponha a antiga limitante)
  2. Favoreça fisiologicamente a mudança: Sempre que desejar algo, crie uma imagem do estado desejado olhando para cima e a direita. Será mais propicio do que se estiver olhando para baixo e a esquerda.
  3. Use a Estratégia que falamos antes, em negrito ali em cima.
  4.  Assuma um compromisso com a mudança: Seja coerente, intenção é extraordinariamente poderosa se concentrada, concentramos intenção alinhando nossas atitudes ás nossas intenções e valores. Fazemos o que falamos e falamos do que acreditamos.
  5. Não espere que a crença coincida com a realidade, entenda que inconscientemente não sabemos a diferença entre real e imaginário portanto, pense no positivo e insira recursos para que se forme crenças novas.
  6. Não crie resistência ao indesejado: Tudo ao que você  resiste, persiste. Como? Toda vez que na melhor das intenções dizemos por exemplo: ” Não quero agir de maneira impulsiva.” estamos criando resistência à impulsividade e vamos continuar a agir impulsivamente, pois nossa mente consciente entende a mensagem, contudo a mente inconsciente só sabe o que é o sim, ela retira o não da frase e envia apenas o comando “Quero agir de maneira impulsiva.”. Agora tendo conhecimento disso, vemos quantos pensamento negativos temos diariamente, embora que com intenção positiva. Mas isso é totalmente reversível, então reprograme-se, procurando sempre oralizar e pensar sobre o que você quer, ao invés do que você não quer. Fale e pense de maneira a criar as realidades que deseja para sua vida. Por exemplo: “Quero agir de maneira calma e consciente.”
  7. Mantenha um diário de auto monitoramento.

Isso é comunicação a favor! E com poder extraordinário. Fique de olho no blog, no nosso Ig e na nossa Fanpage, você também pode digitar Coaching na caixa de pesquisa e ler mais artigos como esse.

Tudo na vida é prática, ouse experimentar verdadeiramente esses conceitos por alguns dias e avalie os resultados.

Beijos e abraços apertados!

Bel Ramalho – Comunicóloga e Coach Executivo e de Vida

 

 

 

 

Share Button

Palestras e Workshops do Baú Hype

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje quero contar p/ vc sobre um trabalho que fazemos no Vale do Paraíba – SP, onde moramos. São palestras e workshops sobre Projeção Positiva da Imagem e Posicionamento Profissional.

Estudamos bastante sobre esses temas e gostamos de dividir o que aprendemos. Então preparamos um material base que é revisado a cada conversa extra-blog e adaptado ao grupo que estará com a gente.

Já conversamos, por exemplo, com clientes de loja de cosméticos e de lingerie, evento do Dia da Mulher organizado por uma clínica odontológica em Aparecida, adolescentes do CRAS – Centro de Referência de Assistência Social de Lorena, evento de moda e beleza promovido pelo Buriti Shopping, alunos da ETEC – Escola Técnica Estadual de Lorena, FATEC de Guaratinguetá e Cruzeiro e Unifatea, em Lorena.

Workshop na Yes Cosmetics Guaratinguetá

Evento no Buriti Shopping Guara

Palestra p/ mulheres na Clinica Santa Clara Odontologia, em Aparecida

Palestra sobre Imagem e Estilo na Fatec Cruzeiro

Tivemos um programete na Inova FM com dicas de Marketing Pessoal e já falamos sobre o assunto em outras emissoras do Vale.

Nossa conversa se ajusta ao tempo disponivel e ao grupo interessado. Então temos workshops que duram de 3 a 4 horas e palestras de 40, 50 minutos. Falamos sobre a importância do cuidado com a imagem pessoal e profissional, como projetá-la de forma positiva e os passos para você se organizar e atingir seus objetivos.

E quanto custa esse nosso trabalho? Nada, é voluntário. Fazemos como uma missão. Já que o Universo nos concede a oportunidade de aprendermos sobre esses temas e exercemos outras atividades remuneradas, optamos por fazer as palestras e workshops de coração. O que a gente solicita, se possível, é auxílio combustível para cidades distantes de Guará e infraestrutura com computador e datashow. Cachê mesmo, não recebemos. =)

Gostou da proposta? Quer levar nossa palestra ou workshop p/ o seu grupo? Acha que podemos ajudar? Então entre em contato pelo mail contato@blogbauhype.com.br ou inbox da page do blog.

Se vc é de alguma cidade do Vale do Paraíba – SP, tem um grupo sério que possa achar nosso conteúdo interessante, fale com a gente.

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Consumo compulsivo. Como se livrar desse hábito destrutivo.

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros! Simmmm temos garotos frequentando o blog!

Esse post foi escrito para quem QUER ajuda. Comprar em excesso é um erro banalizado, isso está mudando, mas ainda é para alguns status de “poder”, quem sofre as consequências da pseudo alegria do consumismo sabe o sofrimento que existe por trás desse péssimo hábito.

Aqui vão algumas dicas para conseguir driblar esse comportamento:

  1. Desative os e-mail marketing das lojas. Tire os sites de compras da aba de favoritos e saia dos grupos de compra e venda, essas ferramentas são pensadas para nos persuadir e apesar de deliciosas são sempre um convite ao consumo. Se possível bloqueie o acesso a esse tipo de conteúdo no computador e também no seu celular.
  2. Limite-se a ir apenas onde precisa, se tem que ir a papelaria, vá a papelaria. Seja objetivo, antes de sair de casa determine um trajeto e tenha sempre uma lista das coisas que realmente precisa comprar.
  3. Não deixe a loja vir até você. Sabe aquela “amiga” revendedora que se convida pra ir a sua casa toda vez que tem novidade? Já percebeu que sem a “sacola” ela não aparece pra te visitar? Você sempre acaba comprando algo que não precisa, comece a rever seus contatos e os interesses deles. Aprenda a dizer não.
  4. Mantenha seus pertences organizados, é sempre difícil achar algo bacana em meio a tanta bagunça. Tudo parece inútil quando está sujo ou amassado.
  5. Liste e explore o que você já tem. Pare de listar o que não tem. Se gasta muito com roupas por exemplo, prove cada uma e crie uma lista com as combinações que dão certo, experimente novas combinações, deixe essa lista ao alcance dos olhos e vá editando esse material de acordo com as experiências. Isso vale para cada tipo de consumo. É comida? Liste a geladeira. Itens para casa? Para o carro? Liste o que já tem e como pode valorizar aquilo.
  6. Faça trocas.  O que você não quer mais, pode ter utilidade para alguém certo? E de quebra essas pessoas podem estar desapegando de algo que você precisa ou quer muito. Uma alternativa bacana é vender e comprar desapegos em brechós e sites de usados.
  7. Faça uma dieta financeira, estabeleça prazos e quando bater aquela vontade de gastar, leia um livro, faça algo produtivo, de preferência que te faça ganhar dinheiro, não perder… Evite procrastinar. Ao final do prazo se presenteie.
  8. Não aceite cartões de lojas e evite compras longamente parceladas, os juros são abusivos e chegam a ter o valor integral da compra. Se for preciso cancele seu cartão de crédito. Sim, porque esconder não adianta mais, você já decorou o número e até o código de segurança.
  9. Não se sabote, liquidações são ótimas, mas você não é obrigado a participar. Não adianta se enganar comprando coisas baratas na tentativa de se isentar da culpa, você vai acumular uma quantidade de produtos sem valor financeiro ou de uso, isso irá se tornar um problema maior futuramente.
  10. Pense nas coisas que você perde com seu comportamento consumista, no quanto isso afeta suas relações, em quantos lugares bacanas você deixa de ir, no futuro que você deixa de planejar e no quanto o pós-compra te deprime. Isso se chama motivação pela dor.
  11. Faça mais programas caseiros, chamar os amigos e dividir as tarefas da noite é super justo, além de interativo, cada um pode levar um prato ou pagar metade da pizza.
  12. Explore os recursos, faça viagens curtas, conheça sua região, experimente coisas mais simples, você vai se surpreender com as emoções que um simples picnic pode proporcionar. Nos acostumamos erroneamente a procurar felicidade em luxos. Esse ano experimente algo diferente disso.
  13. Caia na real, seus hábitos de consumo são coerentes com o seu estilo de vida? Precisamos nos monitorar quanto a isso, muitas vezes a intenção é positiva, talvez demonstrar um certo poder aquisitivo (que não se tem) seja uma defesa à deficiências emocionais muito íntimas e nunca antes exploradas. Avalie isso de maneira sóbria e entre em ação contra esse sentimento, afinal de contas, máscaras desse tipo caem muito rapidamente e sempre nos expõem ao ridículo. Quase sempre no intuito de tapar um buraco acabamos caindo em outro maior. Lembre-se, você não precisa provar nada pra ninguém.

Experimente esses passos e caso não consiga sozinho peça ajuda profissional. Terapia e técnicas alternativas não são motivo de vergonha, vergonha é cair e ficar beijando o chão.

Abraços apertados! Se cuidem.

Bel Ramalho – Coach Executivo e de Vida.

Share Button

Prosperidade. 10 Passos para um 2017 poderoso!

Share Button

Olá Bauzetes e Bauzeiros!

Começamos 2016 falando sobre as 4 Leis Indianas e os benefícios de sua prática, quem leu leu, quem não leu pode clicar aqui e conferir.

Esse ano vamos começar falando novamente sobre PROSPERIDADE. Dessa vez com uma abordagem diferente. Então já sabe, papel e caneta na mão, anote tudo que fizer sentido pra você e crie oportunidade para praticar o quanto antes.

Prosperidade é um estado de progresso que promove sensação de contentamento e ao contrário do que geralmente pensamos, não está ligada somente ao dinheiro, este estado de contentamento e satisfação pode ser tanto físico, financeiro, emocional ou ambos.

Prosperidade está intimamente ligada ao otimismo e eu não vejo maneira mais prática de se tornar uma pessoa positiva do que tendo experiências maravilhosas na vida. Como podemos nos proporcionar isso? É simples, experimentando coisas novas, quando você ousa fazer diferente o resultado sempre muda e mudança pra quem está estagnado é sabor de prosperidade. Pense nisso.

Alguns passos práticos para se tornar uma pessoa próspera:

1. Experimentar novas escolhas. Comece com novas combinações de roupas, novos lugares, novos hábitos de consumo.

2. Seja menos resistente ao otimismo. Se tiver dificuldades com isso leia esse artigo aqui.

3. Abandone o que é velho, velhos objetos, velhos hábitos, velhos padrões de pensamento, velhas companhias, velhas zonas de conforto desconfortáveis. Isso vai ajudar com os dois passos anteriores.

4. Olho do dono engorda o gado, onde você colocar seu foco, você prosperará, então se quer muito uma coisa pense naquilo, leia sobre aquilo, imagine aquilo acontecendo o tempo todo (tela mental positiva), faça esforços e sacrifícios.

5. Você não precisa esperar até que vença os medos, você pode começar  enfrentando-os, ser positivo ou agir como se fosse durante um tempo vai te ajudar com isso.

6. Ter prioridades. O que é mais importante para você nesse momento? Quanto tempo ou energia você tem dispensado nisso?

7. Aceite que não há nada de egoísmo em protagonizar, talvez para isso você precise deixar coisas e pessoas pelo caminho, mas como recompensa alcançará muito mais do que o esperado.

8. Diga não aos seus controles rígidos. Muitas vezes a melhor solução ou o caminho certo está em algo que jamais imaginamos. Já pensou que você mesmo pode estar impedindo o seu progresso?

9. Escolha palavras para seu novo ano, por exemplo: CONQUISTA. Agora crie uma crença positiva para ela, por exemplo: EU TENHO UMA CRENÇA, EU NÃO PARO NO CAMINHO! ou ainda FELICIDADE, EU TENHO UMA CRENÇA, 2017 VAI SER MELHOR QUE 2016. Essas crenças funcionarão como um combustível para seguir caminho e como antídoto quando maus pensamentos vierem a tona, além de energeticamente serem decretos de prosperidade. Lembre- se sempre do poder das palavras, eu crio enquanto falo. Abracadabra!

10. Escreva sobre isso, mantenha um diário de auto monitoramento, escreva as coisas ruins e boas que sente, procure manter o foco no positivo, escreva metas e não duvide delas. Tudo que é escrito ganha performance, pensamentos e ideias são etéreos, vai ser bom você trazer as coisas para o plano físico, para aqui e agora.

Faixa bônus: Não superestime as dificuldades. Talvez você já tenha feito isso d+.

Pronto. Você está apto para um 2017 de muita luz!

Um montão de beijos e abraços apertados! Se cuidem e Feliz Ano Novo!

Bel Ramalho – Comunicóloga / Coach Executivo e de Vida

 

Share Button

De malas prontas p/ 2017

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Hoje queremos aproveitar o espírito de renovação que se faz presente nessa época para refletirmos sobre o aprendizado de 2016 que levaremos para 2017. 😉

Francine Rodrigues:

“Apesar de 2016 ter passado voando, posso dizer que foi um bom ano para mim.
Comemorei meus 30 aninhos ao lado de pessoas queridas e especiais \0/
Apertei muito meus sobrinhos (Cecília e Miguel, titia ama vocês <3)
Comecei meu MBA em Gestão de Marketing e Negócios.
Conheci várias pessoas e fiz novas amizades.
Na parte profissional, 2016 foi um ano de muito trabalho e tive a oportunidade de fazer minha primeira viagem de avião (que frio na barriga, rsrsrs).
Não consegui atingir todas as metas que tinha planejado para este ano, mas vamos que vamos correr atrás em 2017.
Agradeço a Deus por mais um ano com saúde, ao lado da minha família e dos meus amigos #gratidãosempre
Para 2017 espero que seja cheio de alegrias, realizações e novas conquistas =)”

Bel Ramalho:

“O ano de 2016 me ensinou a fazer diferente, a experimentar novas escolhas e a ser menos resistente.
Vivi momentos nunca antes imaginados e com eles aprendi que alcançar tudo aquilo que deseja não é uma missão difícil se você estiver disposto a abandonar o que é velho.
Aprendi na prática que o olho do dono engorda o gado, onde você colocar seu foco, você vai prosperar, então se quer uma coisa pense naquilo, leia sobre aquilo, imagine aquilo acontecendo o tempo todo, faça decretos, sacrifícios e aceite que talvez você precise deixar coisas e pessoas pelo caminho, mas como recompensa alcançará muito mais do que o esperado.
2016 me ensinou a vencer medos, ter prioridades, me ensinou que não há nada de egoísmo em protagonizar e que é possível vencer mesmo que o cenário seja desfavorável.
De maneira incrível 2016 me ensinou tudo sobre prosperidade, em todos os seus possíveis sentidos.
Estou apta para um 2017 de muita luz! E que a cada passo, Deus sempre faça de mim instrumento de sua paz…

Giane Carvalho

“Meu foco em 2016 foi ser mais leve. Pedi a Deus que, se fosse do meu merecimento, que eu tivesse dias felizes e pudesse levar essa vibração para as pessoas à minha volta.

Olha que beleza, deu certo! Foi um ano tranquilo, alto astral, de mais aprendizado pelo amor do que pela dor. Os problemas foram encarados com equilibrio, serenidade, coragem e isso muito me orgulha. Em outros tempos, eu teria sofrido mais. Mas em 2016 consegui me manter positiva e autoconfiante.

Então o que levo p/ 2017 e espero conseguir manter até o final é a sensação de leveza, o bom humor, a criatividade, a vontade de não ficar parada fisica, espiritual e intelectualmente e cuidar de mim, da minha morada, com atenção e amor. Que sobre tudo isso também na sua vida neste ano que se inicia! Paz e bem! ♥”  

E você, qual foi seu aprendizado em 2016 que irá te acompanhar em 2017? Divide com a gente! Vamos adorar!

Bjs nossos e um ótimo ano p/ todos!

Equipe Blog Baú Hype

*Este post faz parte de uma blogagem coletiva do grupo Blogs do VP, do qual fazemos parte. ♥

Share Button

Entrevista de emprego: com que roupa eu vou?

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Quem está a procura de uma oportunidade no mercado de trabalho, precisa ficar atento/a ao look da entrevista porque causar uma boa primeira impressão é fundamental.

look para entrevista de emprego

Confira as dicas da coach Cibele Nardi para não errar neste momento importante:

  • Prepare-se com antecedência : Estar com a aparência em dia é fundamental, com roupas limpas e bem passadas. Também não esqueça de cuidar de outros detalhes, como cabelos arrumados, barba aparada (no caso dos homens), maquiagem (para mulheres), unhas e sapatos bem cuidados.
  • Conheça o estilo da empresa : Escolher a roupa certa para a entrevista é imprescindível. Se a empresa é mais formal, é importante que o cuidado com a aparência seja bem rigoroso. Mas, se é mais despojada, ou com perfil inovador, permite um visual mais ousado e informal. Isso depende também do cargo a que você está se candidatando. Caso conheça alguém que trabalha no local, procure saber mais sobre o ambiente de trabalho e a cultura da empresa. Visite o site para saber mais informações. Conhecer um pouco sobre a empresa sempre impressiona bem o entrevistador. No mínimo mostra que você não está alienado do mundo digital e está realmente interessado.
  • Evite exageros : Cores fortes, decotes, transparências, brilhos, bijuterias chamativas, perfumes ou maquiagens muito marcantes podem causar um impacto negativo na avaliação. Na dúvida, prefira cores mais neutras e roupas que inspirem seriedade, com modelagem mais clássica, e assessórios discretos para complementar. Não é necessário estar extremamente elegante, como se fosse a uma festa, e nem despojado, como se fosse encontrar amigos. Escolha roupas que possam ajudar a mostrar para o recrutador que você é um bom profissional.

Boa sorte e sucesso em sua entrevista!

Bjks,

Equipe Blog Baú Hype

Share Button