Dossiê das olheiras: como se formam, tratamentos e máscaras caseiras

Share Button

Olá Bauzete, tudo bem?

Vamos falar sério, se tem uma coisa que incomoda é olheira, né? Claro que nem todo mundo liga p/ isso mas p/ quem liga, é desgastante tentar disfarçá-la. =(

“Muitas vezes já é perceptível na infância como as de caráter genético; essas são presentes em algumas etnias como árabes, turcos, povos andinos e indianos, pois estas pessoas têm maior depósito natural de pigmento nesta região”, explica a dermatologista Dra. Claudia Marçal, da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia. “Já as olheiras mais violáceas ou mesmo as mistas com tons acastanhados e arroxeados podem surgir por noites mal dormidas, por excesso de bebida alcoólica, tabagismo, na TPM, por abuso da exposição solar, medicamentos fotossensibilizantes e até por processos inflamatórios como rinite e sinusite crônica”, diferencia a médica.

Segundo a dermatologista, nos casos não-genéticos, ocorre um processo inflamatório local que produz derrame de pigmento de melanina e hemossiderina que se depositam na pele e a escurece de forma heterogênea, num processo progressivo e crônico trazendo um ar de cansaço. “Com relação às olheiras genéticas ou hereditárias, elas precisam de controle a vida toda, pois este depósito aumentado de pigmento na região ocular não desaparecerá espontaneamente”.

Outra forma de surgimento da pigmentação, de acordo com a médica, é o envelhecimento da pele da região que se torna cada dia mais fina, por vezes com perda de colágeno e sustentação tecidual, que leva ao encovamento da área orbital, deixando a pele mais sombreada e aderida às estruturas profundas com a visualização dos vasos e capilares. “As olheiras também pioram com a alimentação rica em açúcar e sal pois, assim como o álcool, torna a pálpebra mais inchada e o pigmento depositado mais evidente.”

Tratamentos — O tratamento pode e deve ser realizado, de acordo com a especialista, com o uso de hidratantes específicos para a área dos olhos diariamente.

Além disto, destaca a médica, é importante conscientizar o paciente que as olheiras não trazem alteração patológica à pele e que é preciso adquirir bons hábitos de vida e alimentação saudável na manutenção e prevenção desta hiperpigmentação indesejada.

Alternativa rápida — Quando se deseja um resultado rápido e momentâneo, a médica diz que a melhor opção é aplicar compressas de chá de camomila gelado por dez minutos e cabeceira elevada. “Isso promove vasoconstrição, diminuição do inchaço e ação anti-inflamatória pelo camazuleno e alfa bisabolol presentes na camomila.”

Soluções caseiras — As máscaras também podem ajudar a amenizar o problema, com bons resultados com uso prolongado, trazendo mais firmeza, viço e despigmentação à área.

Confira as receitas:

  • Máscara de batata, mel e azeite de oliva – como fonte de vitamina A, betacaroteno e antioxidantes, a batata é uma fonte de alimentação para as necessidades da pele. O azeite de oliva é muito conhecido para os cabelos, mas também pode ajudar a melhorar as olheiras, as rugas finas, hidratação e retirada de impurezas. Ingredientes: 1 batata media, 1 colher de mel, Azeite extra virgem. Como fazer: Descasque a batata e rale. Misture com o mel e acrescente o azeite até que tenha a consistência de uma pasta. Aplique abaixo dos olhos e deixe agir por meia hora. Em seguida, lave com água morna. Ela pode ser aplicada duas vezes por semana, para clarear, desinchar, alimentar e hidratar a região.
  • Pepino – Esta é a mais popular das máscaras para a região dos olhos e um efeito calmante imediato. A temperatura fria pode contrair os vasos sangüíneos, de modo que o inchaço é temporariamente reduzido, mas sem efeito direto nas áreas escuras.
  • Abacate e óleo de amêndoa – Muito fácil de fazer, esta máscara é excelente para o rejuvenescimento da região e melhora da área escura. O óleo de amêndoa é um hidratante natural e também ajuda na redução de linhas de expressão e inchaço se aplicado regularmente. Ingredientes: 1 colher de abacate amassado, 4-5 gotas de óleo de amêndoa e algodão. Misture muito bem o abacate com o óleo e mergulhe o algodão na mistura e aplique na região dos olhos e deixe agir por 15 a 20 minutos. Então lave bem a área e seque suavemente. Esta máscara pode ser aplicada duas vezes ao dia para tratar a área escura, bem como o inchaço.

Sugestões de produtos — “Hoje em dia, encontramos muitos cremes com aplicadores acoplados na ponta na forma de esferas e como pequenas espátulas siliconadas que massageiam a região hidratando e depositando muitas vezes cor e difusores óticos para iluminar, bem como patches que concentram os ativos na região necessária. A aplicação de cremes com filtro solar na área é muito importante para evitar o escurecimento ou a repigmentação por sol, calor ou luz visível”, explica.

Fonte: Dra. Claudia Marçal – Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.

Bjks,

Giane Carvalho

Share Button

Comments

comentários